Organizações

USL E MDM REÚNEM COM A SECRETÁRIA DE ESTADO DA IGUALDADE

dia_internacional_da_mulher_2012Representantes da USL e do MDM estiveram hoje reunidas com a Secretária de Estado dos assuntos parlamentares e da Igualdade onde apresentaram a Carta Reivindicativa aprovada no dia 8 de Março, sob o lema “Dignificar horários, efectivar direitos, promover a igualdade, contra a exploração!” Nesta reunião, chamaram ainda a atenção para as nefastas consequências dos recentes cortes nas prestações sociais, com particular enfoque para as questões relativas ao subsídio de maternidade e do anunciado encerramento da Maternidade Alfredo da Costa.

Ler Carta Reivindivativa

INTERJOVEM PINTA MURAIS PARA A GREVE GERAL!

ij_mural_gg_2012

mural_ij_gg_2012

TRIBUNA PÚBLICA DA INTER-REFORMADOS EM DEFESA DO TRANSPORTE PÚBLICO - DIA 14 DE MARÇO

capa_ir_luta_marcoA Inter-Reformados Lisboa/CGTP-IN e a FARPIL vão realizar no dia 14 de Março, pelas 14h30 no Rossio em Lisboa uma Tribuna Pública em Defesa do Transporte Público.
Os Reformados, pensionistas e idosos foram fortemente afectados pelas medidas implementadas pelo governo no que concerne aos transportes públicos, entre as quais destacamos: a alteração dos horários, o fim de algumas carreiras e o encurtamento no percurso de outras; o aumento das tarifas dos transportes públicos, que em alguns casos chegou aos 21,3%; o roubo no desconto de 50% para 25% nos passes e títulos de transporte.
Em tom de ironia, poderíamos pensar que estas medidas promovidas pelo Governo PSD/CDS e a Troika visam “pôr os reformados a andar” para promover o tão propagado “ano europeu do envelhecimento activo”.
Infelizmente, a vida dos reformados não está para brincadeiras e, em tom realista e preocupado, dizemos que estas medidas agravam as dificuldades económicas desta camada da população, já por si vulnerável, tornando cada vez mais difícil a mobilidade de muitos reformados, muitos dos quais com problemas graves de locomoção, contribuindo ainda mais para o seu isolamento.

Ler tarjeta da Inter-Reformados

CENTENAS ASSINALAM DIA INTERNACIONAL DA MULHER EM LISBOA!

capa_mulher_2012A União dos Sindicatos de Lisboa, a Inte-Reformados, a Interjovem, a CGTP-IN e o Movimento Democrático de Mulheres realizaram ontem, em Lisboa, uma série de acções que visaram assinalar o Dia Internacional da Mulher. Desde distribuições de documentos nos transportes públicos e na baixa de Lisboa com entrega de flores, uma acção teatral, promovida pelo STAL, que narrou a luta pela emancipação das mulheres portuguesas e de todo o mundo. Estas acções foram concluídas com uma "Marcha pela Igualdade Contra a Exploração" desde o Chiado até à Assembleia da República. Onde, por fim, foi votada por unanimidade a Carta Reivindicativa onde também se apela à participação de todos e todas na Greve Geral marcada pela CGTP-IN para o dia 22 de Março.

Ler Carta Reivindicativa ; Ver foto-galeria da acção

8 DE MARÇO DIA INTERNACIONAL DA MULHER! MARCHA PELA IGUALDADE E CONTRA A EXPLORAÇÃO - 14H30 CHIADO - RUA DO CARMO

mulher_capa_2012A Comissão Distrital para a Igualdade entre Mulheres e Homens, em conjunto com o Movimento Democrático de Mulheres, a Inter-reformados e a Interjovem vão realizar uma acção de rua convergente, envolvendo diversos sectores, no dia 8 de Março, a partir das 14h30 no Chiado para a Assembleia da Républica.
Esta marcha tem como objectivo fundamental dar visibilidade aos problemas
específicos das mulheres trabalhadoras e às repercussões sociais e laborais contidas no “pacote da exploração” do Governo PSD-CDS/Patrões/UGT!
Queremos com esta Iniciativa do Dia internacional da Mulher, devidamente
articulada com as acções desenvolvidas nos vários locais de trabalho e dos diversos sectores, contribuir para a ampliação da indignação e da mobilização das trabalhadoras para a luta contra as desigualdades e as discriminações, pela
construção de alternativas políticas transformadoras da sociedade que contribuam para a emancipação económica, social, política e cultural das mulheres.

Ler folheto do Dia Internacional da Mulher

A INTERJOVEM / LISBOA MANIFESTOU-SE CONTRA O DESEMPREGO

capa_marcha_ij_contra_desempregoCerca de uma centena de trabalhadores de vários sindicatos e jovens trabalhadores desempregados percorreram vários locais de trabalho, iniciando a marcha contra o desemprego no El Corte Inglés com a denuncia da tentativa de despedimento de 300 trabalhadores, com passagem pela maternidade Alfredo da costa onde a falta de enfermeiros se faz sentir de forma bastante gravosa, à imagem de todo o sector da saúde. Depois a marcha seguiu até ao Call Center da Tempo-Team, empresa que presta serviços exclusivamente para a EDP, e onde em Março de 2010 mais de 600 trabalhadores passaram efetivos pela luta e organizados nos seus sindicatos, a marcha passou ainda pela 4ª companhia do Regimento Sapadores de Bombeiros onde a greve deste sector garantiu a vitória e a manutenção dos 4 turnos. O fim da marcha passou pelo call-center da Teleperformance com a denuncia de precariedade que há naquele local de trabalho e o final no Centro de emprego do Conde Redondo com a denuncia de mais de 35 mil jovens desempregados no distrito de Lisboa.
A marcha teve ainda um crescendo, com trabalhadores que saindo dos locais de trabalho foram integrando a iniciativa que foi ainda de mobilização para a manifestação nacional de 11 de Fevereiro, que sai dos Restauradores em direcção ao Terreiro do Paço, e de afirmação do XII congresso da CGTP-IN.

Ouvir entrevista de João Barreiros à Antena 1

CONTRA O DESEMPREGO, NÃO FIQUES PARADO! MARCHA PELO TRABALHO COM DIREITOS

cartazete_ij_25_janQueremos e temos direito ao trabalho, por nós e pelo país! Somos jovens, queremos trabalho, exigimos direitos! Os jovens tem direito a ter um trabalho estável, com horários dignos e remuneração justa. Nem a precariedade, nem os estágios não remunerados, nem a emigração são soluções para um Portugal mais justo e soberano.
Na continuidade da luta contra o desemprego e da rejeição do aumento do horário de trabalho, que vai atirar milhares de jovens trabalhadores para o desemprego, a
Interjovem/Lisboa irá realizar uma Marcha pelo trabalho com direitos no dia 25 de Janeiro, com saída pelas 13 horas junto ao El Corte Inglès (no cruzamento entre a Av. António Augusto de Aguiar e a Rua Marquês de Fronteira), que irá terminar no Centro de Emprego do Conde Redondo. NÃO FIQUES PARADO, MARCHA PELO TRABALHO COM DIREITOS!

Ler documento da Marcha

Descarregar Cartaz da Marcha

MAIS DE 4 MIL REFORMADOS NA RUA CONTRA A POLITICA DE AGRESSÃO DO GOVERNO!

reformados_manif_nacional

A Inter-Reformados/CGTP e o MURPI realizaram no dia 10 de Dezembro uma manifestação Nacional, que contou com a participação de mais de 4 mil reformados e pensionistas.
Desfilaram da Praça do Comercio até à Praça da Figueira, entoando cânticos de natal adaptados à situação social, "E natal, E natal. Não vamos parar. Contra o roubo das pensões . Nós vamos lutar.
Os reformados deram expressão à revolta contra a politica de agressão do Governo PSD/CDS/TROIKA que tem contribuído para o empobrecimento de milhares de reformados com o congelamento e redução das pensões, com a retirada de 50% do Subsidio de natal deste ano a todos os reformados com pensões acima de 600€. O aumento dos preços de produtos essenciais, a retirada de descontos nos transportes coletivos.
Esta Iniciativa contou com intervenções de Fátima Canavezes Coordenadora da IR/CGTP e de Esperança Martins da Comissão de reformados SINTAF, José Inácio Revés do STAL e Casimiro Menezes presidente do MURPI.

Ler mais...

INTERJOVEM MOBILIZA PARA A GREVE GERAL DE 24 DE NOVEMBRO!

ij_mobiliza_ggA Interjovem/Lisboa desenvolveu hoje uma acção de mobilização dos jovens trabalhadores no Call Center da PT (Afonso Costa – Areeiro) e no Centro Comercial Vasco da Gama. Nestes dois locais de trabalho houve uma grande aceitação do documento, e a denuncia por parte dos trabalhadores de problemas concretos. Esta acção, inserida no trabalho diário que a Interjovem/Lisboa desenvolve junto dos jovens trabalhadores, serviu também de mobilização para a Greve Geral de 24 de Novembro, onde os jovens irão dar uma resposta à altura da ofensiva que lhes está imposta.
A Precariedade, os baixos salários e o desemprego que querem continuar a impor aos jovens, aliado ao aumento do horário laboral, da diminuição do pagamento das horas extraordinárias, do aumento do custo de vida, vão ter uma forte resposta da juventude e esse sentimento foi hoje sentido durante as duas acções.

Privacidade

Está em... Home Organizações