InterJovem

TAXA DE DESEMPREGO JOVEM EM PORTUGAL CONTINUA A SER DAS MAIS ELEVADAS DA UE

TAXA DE DESEMPREGO JOVEM EM PORTUGAL CONTINUA A SER DAS MAIS ELEVADAS DA UESegundo os dados recentes do INE, a taxa de desemprego em Portugal recuou no 2º trimestre. Como a CGTP-IN já demonstrou, estes valores não traduzem a realidade do desemprego em Portugal. Além dos 729 mil desempregados considerados pelo INE, dos quais mais de 308 mil são jovens dos 15 aos 34 anos, existem ainda mais 257 mil inactivos disponíveis que não procuram emprego (desencorajados), que nos jovens atingem cerca de 94 mil e 252 mil subempregados,que trabalham menos tempo do que desejariam, dos quais mais 84 mil são jovens.
A estes há que juntar mais 28 mil, dos quais cerca de 14 mil são jovens, inactivos à procura de emprego, mas não imediatamente disponíveis para trabalhar.
Mais de 490 mil desempregados estão no desemprego de longa duração, cerca de 173 mil dos quais são jovens, isto num cenário em que menos de 10% têm acesso à protecção no desemprego.

A taxa real de desemprego e subemprego nos jovens dos 15 aos 34 anos é pois de 31,3%. Dos 15 aos 24 anos a taxa ronda 52,2% e nos 25 aos 34 anos é de 23,6%.
Desde o 2º trimestre de 2013, 67 milhares de portugueses em idade activa saíram do país em busca de melhores condições de vida.
O Governo, na sua tentativa de esconder a realidade do país, lança a ideia da descida do desemprego e volta a mentir. Propagandeia como soluções as medidas activas de emprego, que servem para subsidiar as empresas e criar trabalho precário e mal pago. Ou como o caso dos Contratos Emprego Inserção na Administração Pública e dos Estágios no sector privado, que estão a substituir postos de trabalho permanentes e o valor pago não corresponde ao salário devido.

Como consequência da política de direita, com as sucessivas alterações ao Código do Trabalho e sendo o próprio governo a potenciar a precariedade e a permitir o uso abusivo dos vínculos precários no sector privado, são mais de 403 mil os jovens trabalhadores que estão com vinculo precário (132 mil dos 15 aos 24 anos e 271 mil entre os 25 e os 34 anos).
Torna-se cada vez mais imperioso a exigência da demissão deste governo e o fim desta política. É urgente reforçar a luta por melhores condições laborais.

Está nas tuas mãos! Sindicaliza-te! Luta!

ACAMPAMENTO PELA PAZ - PISCINAS MUNICIPAIS DE ÉVORA - 25, 26 E 27 DE JULHO

ACAMPAMENTO PELA PAZ - PISCINAS MUNICIPAIS DE ÉVORA - 25, 26 E 27 DE JULHOA Plataforma 40x25 da qual a Interjovem/CGTP-IN faz parte juntamente com dezenas de associações convocou o Acampamento pela Paz, um importante momento da unidade da juventude na defesa dos valores de Abril, afirmando toda a disponibilidade dos jovens para os colocar no futuro de Portugal.
O acampamento tem sido um marco na vida da juventude. Centenas de jovens têm todos os anos usado o acampamento para partilhar experiências, assim como ganhar e dar confiança para as lutas que se avizinham.
Este ano em Évora, nas Piscinas Municipais, o acampamento promete ser mais um poderoso momento de alegria e luta. Nos dias 25, 26 e 27 de Julho a cidade da juventude estará instalada em Évora com debates, workshops, desporto, cultura e dois concertos com “Diabo na Cruz” e “Bicho do Mato”.
Será um fim-de-semana de festa e de luta para o qual te convidamos a participar. Há transportes de todo o país. Organiza-te com os teus colegas e amigos e inscreve-te. Informa-te no teu sindicato!

Ler documento a distribuir aos jovens trabalhadores.

JUVENTUDE ENTREGA CONSTITUIÇÃO DA REPÚBLICA AO PRIMEIRO-MINISTRO!

JUVENTUDE ENTREGA CONSTITUIÇÃO DA REPÚBLICA AO PRIMEIRO-MINISTRO!Várias organizações inseridas na Plataforma 40x25 subscreveram ao Apelo da Interjovem/CGTP-IN para entregar a Constituição da República ao Primeiro-Ministro. Sabia-se que esta entrega não seria em mãos, mas não era esse o objectivo. Gritou-se e exigiu-se a demissão do governo, exigiu-se respeito pelos nossos direitos e pela Lei Fundamental do nosso país, conquistada com o 25 de Abril de 1974. Como jovens, mostrámos mais uma vez que basta desta política que prende os jovens entre o desemprego e os vínculos precários, que dá como única solução a emigração. Deixámos bem claro que queremos e temos o direito de sermos felizes no nosso país! Que quem está mal e a mais é este governo e esta política que tem levado o país ao empobrecimento. Hoje marcámos mais um dia de luta. No dia 21 de Junho – Manifestação da CGTP-IN – os jovens mais uma vez se farão ouvir. Gritaremos: “Está na hora, está na hora, do governo ir embora” até à demissão deste governo e da política de direita!

INTERJOVEM E STEFFAS CONSCIENCIALIZAM TRABALHADORES DA OGMA

INTERJOVEM E STEFFAS CONSCIENCIALIZAM TRABALHADORES DA OGMAEnquadrada na semana de lutas convocada pela CGTP-IN, a Interjovem e o Sindicato dos Trabalhadores Civis das Forças Armadas Estabelecimentos Fabris e Empresas de Defesa (STEFFAs) realizaram esta tarde uma distribuição junto dos trabalhadores da OGMA. Porque é necessário e possível o aumento dos salários, é pela luta e resistência nos locais de trabalho que os trabalhadores conquistarão melhores condições de vida para si e para as suas famílias. A luta organizada já garantiu aumentos salariais em várias empresa e é por esta via que na OGMA os trabalhadores irão atingir os seus objectivos.
Nos últimos 5 anos a OGMA obteve mais de 51 milhões de euros de lucro líquido mas os salários dos que mais contribuem para estes lucros, os trabalhadores, só viram aumentos abaixo do valor da inflação.
Os sucessivos governos PS/PSD, com ou sem CDS, com as sucessivas alterações ao Código de Trabalho visam destruir por completo as convenções colectivas de trabalho. A luta contra esta política é uma batalha de todos os trabalhadores, e em particular, dos mais jovens que entram agora no mundo do trabalho!

Ler documento da Interjovem.

INTERJOVEM DENUNCIA PRECARIEDADE NO DISTRITO DE LISBOA!

A Interjovem/CGTP – Lisboa (organização de jovens trabalhadores da CGTP-IN no distrito de Lisboa) entregou esta manhã, pelas 10h30, um dossier sobre a precariedade da região de Lisboa ao Ministro da solidariedade, emprego e segurança social para denunciar o aumento da precariedade e de como esta afecta os jovens trabalhadores.  Por trás dos números da precariedade estão pessoas: jovens envolvidos numa teia de situações involuntárias de precariedade e de insegurança que minam o seu presente e a sua capacidade de construir e perspectivar o seu futuro. Este dossier denuncia os números da precariedade, ilustra situações em vários sectores de actividade, retrata percursos de vida de jovens que entraram no mercado de trabalho e se mantêm durante anos na precariedade e apresenta as propostas e alternativas da Interjovem/CGTP-IN.

Ler dossier sobre a precariedade.

MANIFESTAÇÃO NACIONAL DE JOVENS TRABALHADORES - 28 DE MARÇO ÀS 15 HORAS - LARGO DO CARMO!

manifestacao_interjovem_jovens_trabalhadoresNo dia 28 de Março de 1947, juntaram-se centenas de jovens num acampamento organizado pelo Movimento de Unidade Democrática Juvenil (MUD Juvenil) em Bela Mandil, no Algarve. Nesse dia, tal como já tinha acontecido noutras vezes, e a outros anti-fascistas, foram reprimidos de forma violenta pela PIDE. Foi a luta destes jovens e de todo o povo do nosso país que levou, após anos de resistência, à Revolução de Abril e às conquistas que ela nos trouxe. Este dia passou a ser comemorado em Portugal por estar associado à luta da juventude, mesmo nas piores condições de repressão, por uma vida melhor dentro do nosso país.
Queremos Abril e Maio de novo com a força da juventude! Queremos trabalho com direitos! Queremos viver e transformar o nosso país! Queremos pôr fim ao desemprego e à emigração forçada, queremos o fim da precariedade e que a um posto de trabalho permanente corresponda um vínculo de trabalho efectivo. Queremos o aumento dos salários, incluindo o aumento imediato do salário mínimo nacional. Queremos horários dignos, querenos pôr fim ao encerramento dos serviços públicos, queremos um país desenvolvido e soberano. Exigimos o presente e o futuro a que temos direito e por isso lutamos e lutaremos. Dia 28 de Março, às 15 horas no Largo do Carmo, faremos ouvir a nossa voz, participa e mobiliza!

Ler manifesto da Interjovem.

INTERJOVEM CONTACTA COM TRABALHADORES DA TABAQUEIRA

Porque é necessário reforçar a luta nos locais de trabalho, a Interjovem Lisboa realizou hoje um contacto junto dos trabalhadores da Tabaqueira. Contacto que sensibilizou estes homens e mulheres a participarem na manifestação de 1 de Fevereiro, convocada pela CGTP-IN, mas que também serviu para a consciencialização de que só com a sindicalização de todos, com a discussão dos problemas e com o encontrar de soluções podemos derrotar este Governo, alcançar o aumento do salário, o fim da precariedade e conquistar o que é nosso por direito. É este o caminho que todos os trabalhadores devem percorrer, pois é na rua e nas empresas que será possível transformar esse caminho em conquistas de direitos e a resolução dos problemas vividos locais de trabalho. Lutar organizadamente e estar sindicalizado abre caminho a um futuro melhor.

 

Ler manifesto da Interjovem Lisboa.

INTERJOVEM MOBILIZA PARA O 1 DE FEVEREIRO!

O Governo PSD/CDS tomou a sua posição, posição esta que serve unicamente os interesses dos patrões. Vende o país, destrói a produção nacional, precariza a vida dos jovens e promove os baixos salários. Enquanto os lucros das grandes empresas aumentam em flecha! Mas a resistência dos trabalhadores contra este Governo tem sido imparável. O aumento da sindicalização e a luta diária nos locais de trabalho, nas pequenas e grandes vitórias os trabalhadores e o povo Português tem dado resposta à altura contra os sucessivos ataques da política de direita.

Os jornais escondem e a televisão não mostra! Mas os trabalhadores com a sua luta têm vitórias, organizados no seu sindicato (CESP) os trabalhadores  rejeitaram o banco de horas diárias sem pagamento, na STEF obrigaram a empresa a recuar e a aceitar os reivindicações dos aprovados em plenário, a empresa IBERLIM foi obrigada a reintegrar uma trabalhadora que há cinco anos tinha sido despedida injustamente. Na SCOTTURB foi anulado o despedimento de um trabalhador que tinha participado num piquete de greve.

Estas são algumas de muitas lutas que estão a ser travadas por todo o país. Lutas que terão uma expressão maior, da unidade de quem trabalha, no dia 1 de Fevereiro. São estas lutam que travam o ataque do Governo e serão estas lutas que o irão pôr na rua!

 

Ler manifesto aos jovens trabalhadores, ler manifesto aos trabalhadores em callcenters.

Privacidade

Está em... Home Organizações Interjovem