Acção reivindicativa

Mais Transportes Para Os Utentes Fim Do Lay-Off Para Os Trabalhadores

A União do Sindicatos de Lisboa, a FECTRANS e Comissões de Utentes, realizam no dia 24 de Junho um Concentração em frente à residência do 1º Ministro pelas 17h30.

A situação vivida na região de Lisboa, é preocupante num contexto de aumento de casos COVID 19, à qual acresce o facto de não se tomarem medidas para reforçar e melhorar os transportes públicos.

Considerando a importância do distanciamento social, como uma das medidas de saúde e segurança definidas pela DGS, os utentes dos transportes públicos vêem-se confrontados com uma oferta que não assegura o preconizado pelo Governo e pela DGS. Apesar da falta de oferta continuam na situação de lay-off milhares de trabalhadores das empresas privadas rodoviárias de passageiros, o que provoca uma diminuição inaceitável do número de autocarros em circulação.

Estas são algumas das razões de protesto dos utentes e dos trabalhadores! Uns porque são forçados a viajar em transportes sobrelotados; outros porque continuam com uma drástica redução dos seus salários e tudo isto, enquanto os grupos Barraqueiro/Arriva, Transdev e Arriva continuam a ser pagos como se estivessem a assegurar o serviço contratualizado antes da pandemia. Dito de outra forma, não efectuam os serviços a que estão obrigados com a conivência activa do governo.

Ler comunicado aqui.

A semana de luta terá uma grande expressão no distrito de Lisboa

Estamos em luta, desde o sector privado ao sector público

São já dezenas de acções, plenários, distribuições, iniciativas de contacto ou greves que se realizarão em variadas empresas e serviços, nomeadamente: DHL, Sicasal, CTT, Frismag, Rações Valouro, CASO, IPO, ETPC – logística, OTIS, Thissenkrupp, Orona, EGF, Parques Sintra- Monte da Lua, SUCH, Lidl, Pinto & Cruz, Visabeira, Enor, Kone, Minipreço, Novo Banco, Iberol, Biovegetal, Sotecnica, P. Doce, CC Colombo, Schindler, Schmitt, Hospital Santa Maria, obras de construção, IPSS`s, Segurança Social, Escolas, Empresas da industria tranformadora, no edifício central e bibliotecas da C. M. De Lisboa e acções de rua da Administração Pública e dos Transportes.

Para além destas iniciativas, que aumentarão certamente até ao final da Semana Nacional de Luta, a Uniao de Sindicatos de Lisboa decidiu realizar uma acção de luta convergente, com Concentração Rossio, no dia 25 de Junho, a partir das 16h, seguida de um desfile até á Praça do Município, observando-se todas as orientações da DGS.

Ver calendário das acções de rua aqui.

Enfermeiros com Contrato Individual de Trabalho do IPO /Lisboa Exigem Direitos Iguais

Inserida na semana de Luta Promovida pela CGTP-IN, o SEP entregou   um abaixo-assinado, com 300 assinaturas, à administração do IPO, onde reivindicam, para os enfermeiros com Contrato Individual de Trabalho (CIT) que exercem no IPOFG, Lisboa detêm a mesma formação, as mesmas competências e desempenham as mesmas funções que os enfermeiros com um Contrato de Trabalho em Funções Públicas (CTFP). É por isso da mais elementar justiça a harmonização dos direitos, nomeadamente a redução da carga horária e majoração dos dias de férias.

Leia mais aqui.

Trabalhadores Da Randstad Em Greve No Dia 12 De Junho

A NOS, a EDP, através da RANDSTAD, empresa de trabalho temporário, que presta serviço a estas empresas, têm acumulado lucros avultadíssimos, só a EDP obteve um lucro de mais de 600 milhões de euros em 2019 e que já anunciou que o primeiro trimestre de 2020 foi melhor quando comparado com o do ano anterior.

Estes lucros têm sido distribuídos aos accionistas, enquanto aos trabalhadores, é lhes dado um aumento médio de 1 euro por ano. É de salientar que a luta desenvolvida pelos trabalhadores da RANDASTAD tem obrigado a empresa a repor um conjunto de direitos e ir ao encontro de algumas reivindicações,

Os Trabalhadores vão estar em greve, no dia 12 de Junho, contra a estagnação salarial e, consequente, perda de poder de compra; pela integração dos trabalhadores nos quadros das empresas para quem prestam trabalho; contra a instabilidade a precariedade.

Leia o comunicado aqui.

Violação e Ataque aos Direitos dos Trabalhadores da Plural Entertainment

O CENA-STE exige que a Plural Entertainment e o Grupo Média Capital, cumpra o acordado com o sindicato. Esta empresa viola sistematicamente os direitos dos trabalhadores, apesar das denuncias feitas à ACT, A Plural continua, impunemente, a levar a cabo jornadas semanais de 50 horas, quando existem trabalhadores sindicalizados que não têm ocupação efectiva, ou seja, não estão a ser chamados, o que claramente evidencia perseguição aos trabalhadores sindicalizados.

Durante o infundado lay-off, a Plural preferiu recorrer a prestadores de serviços para efectuar as funções em vez dos trabalhadores que integram os quadros da empresa.

Leia mais aqui.

Trabalhadores da Alimentação e Turismo Exigem Respostas e Não Almoços Grátis

Dirigentes, delegados e activistas dos sindicatos da  Alimentação e Turismo concentraram-se, dia 26 de Maio, em frente do Ministério do Trabalho, para exigir a criação de um "Fundo Especial" que tem como objectivo principal apoiar todos os trabalhadores do sector que foram vítimas do oportunismo patronal, aproveitando-se desta situação de pandemia do COVID-19 e da passividade das Autoridades Fiscalizadoras do Trabalho, para despedir milhares de trabalhadores, reduzir o salários aos trabalhadores ou alterar de forma unilateral os horários dos trabalhadores.

A FESAHT faz referência no comunicado que, para além de tudo isto, "beneficiaram do Governo PS de apoios vindos da Segurança Social para as suas carteiras, quando o sector cresceu anualmente milhões de euros em lucros nos últimos cinco anos". Não chega apelar para que as pessoas venham aos restaurantes como fez o Governo e o Presidente da República, é caso para se dizer que não há almoços grátis.

Ler mais.

Não É Verdade Que os Trabalhadores da Saúde Tenham Sido Todos Testados

A Federação Nacional dos Sindicatos dos Trabalhadores em Funções Públicas e Sociais, numa nota enviada aos OCS, desmentem o secretário de Estado da Saúde, e revelam que os trabalhadores da saúde não foram todos testados para o Covid-19.

Os trabalhadores da Saúde durante todo este período de crise sanitária, desenvolveram o seu trabalho e a sua actividade profissional deram uma demonstração competência e profissionalismo, garantindo a qualidade e a segurança sanitária do funcionamento das instituições de saúde, tendo em conta as condições que lhes foram dadas para o efeito.

Face ao desconfinamento que agora se exige, a Federação exige que sejam repostos todos os direitos que lhes foram condicionados e, sejam consideradas as suas justas reivindicações, considerando nomeadamente, a importância das suas funções.

Ler nota aos OCS.

Thyssenkrupp Elevadores: Horários ajustados mantém-se em vigor para salvaguardar a saúde

COVID 19: são necessárias medidas preventivas adequadas!

O SIESI e a Comissão Intersindical reuniram com a Direcção da Thyssenkrupp um conjunto de assuntos, nomeadamente os contornos de como se iria proceder ao desconfinamento e de como se iria proceder ao retorno ao trabalho. Acordaram que o horário de trabalho se mantém em vigor, até ao dia 31 de Maio, as opções de horários ajustados conforme a revisão do Acordo (de 04 de Maio), por decisão individual e voluntária do trabalhador. Salvaguardaram os doentes crónicos, estes continuarão resguardados, conforme as orientações médicas, até ao dia 31 de Maio. Os representantes sindicais exigiram que todos os trabalhadores sem excepção, devem ser alvo de dos Testes COVID 19.

Ler comunicado.

Governo Marcou Retoma das Negociações na CP

No dia 15 de junho vai ser retomada o processo negocial entre o sindicato e a equipa negociadora Governo/CP. 

O objecto da negociação é o novo regulamento de carreiras, na base do actual âmbito de actividade da CP que tem como objectivo a unificação das regras do trabalho devido à retorno das oficinas da ex-EMEF à CP.

Ler comunicado.

Privacidade

Está em... Home Acção Reivindicativa