Privatização da Fiscalização da Carris

O STRUP/ FECTRANS repudiam a decisão da Câmara Municipal de Lisboa relativamente à entrega a privados da fiscalização comercial da Carris.

Segundo sindicato este negócio serve sobretudo a empresa privada que vai arrecadar, 2 milhões de duzentos mil euros, pela execução deste contrato. Feitas as constas e acrescentando ao vencimento auferido hoje pelos trabalhadores da fiscalização, com o subsídio de refeição e os encargos patronais para a TSU, estes milhões dariam para pagar durante 1 ano (14 meses) a 96 trabalhadores. Este é um grande negócio para o sector privado, à conta do sector público.

Ler mais aqui.