Trabalhadores manifestam-se contra despedimento colectivo na ALTICE

Solidariedade Com a Luta dos Trabalhadores da ALTICE, Contra o Despedimento Colectivo.

Cerca de 2 000 trabalhadores manifestaram-se, no dia 21 de Julho, em Lisboa contra o despedimento colectivo na ALTICE e exigiram a intervenção do governo, para parar mais este ataque contra os trabalhadores e contra os interesses do País.

Esta acção de luta, que decorreu durante a greve hoje realizada e que teve uma elevada adesão, começou em frente à sede da empresa, nas Picoas em Lisboa e deslocou-se depois para o MIH – Ministério das Infraestruturas e da Habitação e posteriormente para o MTSSS – Ministério do Trabalho, da Solidariedade e da Segurança Social, em cujos ministros foi delegada, pelo primeiro-ministro, a responsabilidade para reunir com as organizações de trabalhadores.

Ler mais...

Jornada de Acção e Luta - “Pelo aumento geral dos salários, Pelo emprego com direitos, Pela revogação das normas gravosas da legislação laboral” 

 15 de Julho - 10H00 - Manifestação – Largo do Camões – Assembleia da República 

A CGTP-IN convocou uma Jornada de Acção e Luta a decorrer entre 21 de Junho e 15 de Julho, com greves, paralisações e acções em todos os sectores sob o lema “Pelo aumento geral dos salários, Pelo emprego com direitos, Pela revogação das normas gravosas da legislação laboral”, tendo em conta o conjunto de lutas que se têm desenvolvido em todos os sectores, em torno do aumento dos salários , da valorização das carreiras e profissões, da negociação da contratação colectiva, combate à precariedade, luta pela redução dos horários e rejeição da sua desregulamentação, melhoria das condições de trabalho, resposta aos problemas dos trabalhadores, insuficiência e desequilíbrio das medidas do Governo, defesa e reforço dos serviços públicos e das Funções Sociais do Estado, entre outras. 

Vamos fazer do dia 15 de Julho um grande dia de Luta e dar visibilidade aos Problemas existentes e às respostas que se impõem, de ruptura com os interesses do patronato dos grandes grupos económicos e financeiros, afirmando o caminho de desenvolvimento económico, social e humano no país, só possível com a convergência de Lutas e a unidade na acção em defesa dos salários, direitos e de uma mais justa distribuição da riqueza e na valorização do trabalho e dos trabalhadores. 

 

 

 

 

 

Tribuna Pública “Pelo País e pela região de Vila Franca de Xira” Não à desvalorização do trabalho e dos trabalhadores!  

A luta dos trabalhadores, da região de Vila Franca de Xira, tem vindo a intensificar-se, respondendo aos ataques aos direitos, aos salários, aos despedimentos e encerramentos de empresas, nomeadamente no Dia/Minipreço, na DHL, na CURPI, na EXIDE, na Avipronto, na Matutano, na ADP fertilizantes, na CP e Infrastruturas de Portugal, na SUCH, nas cantinas e refeitórios, na Águas de Portugal, no quadro da administração pública – nos sectores da saúde, da educação, da administração central e local e nos outros sectores de actividade – indústria, transportes, comunicações, agricultura e hotelaria. 

 Na Tribuna Pública, realizada no dia 18 de Junho, organizada pela Delegação Sindical da USL/CGTP-IN, intervieram vários sindicatos e organizações representativas dos trabalhadores como : o Sindicato dos Trabalhadores Escritórios e Serviços de Portugal, da Hotelaria e Turismo, da Função Pública, da Comissão de Trabalhadores da EXIDE e da Coordenadora das Comissões de Trabalhadores da Cintura Industrial de Lisboa (CIL) foi dado a conhecer os vários processos de luta que se tem desenvolvido na s área de intervenção da Delegação, em várias empresas e locais de trabalho,  que têm sido no sentido na valorização dos salários, contra o empobrecimento, os baixos salários e as reduzidas reformas; rejeitam a precariedade e o desemprego crescente; combatem os bloqueios na contratação colectiva e, no sector público, na negociação colectiva, e o atropelo dos direitos.

 Libério Domingues, Coordenador da União dos Sindicatos de Lisboa e membro da Comissão executiva de CGTP-IN, valorizou a participação, o compromisso, a dedicação de toda a de todos os activistas sindicais, e saudou todos os trabalhadores pela resposta dada e pela luta desenvolvida. Referiu que “Estes trabalhadores exigem resposta aos seus problemas e às suas reivindicações”. Na sua intervenção referiu também que a situação actual exige uma justa distribuição da riqueza e que é inaceitável que se mantenha os lucros e a distribuição de dividendos pelos acionistas das grandes empresas enquanto para os trabalhadores   negam salários dignos e direitos”.  

 Foi ainda aprovada uma resolução e os participantes decidiram: Desenvolver a luta em torno das reivindicações concretas dos trabalhadores em cada local de trabalho, empresa ou serviço, desde já integrando a Jornada de Acção e Luta da CGTP-IN, que decorrerá entre 21 de Junho a 15 de Julho, em todos os sectores e em todo o país, promovendo na área sindical da Delegação de Vila Franca o maior número de Greves, Paralisações, Plenários e Acções de rua “Pelo aumento geral dos salários! Pelo emprego com direitos! Pela revogação das normas gravosas da legislação laboral! 

 

Esta resolução será entregue às Camaras Municipais dos concelhos: de Alenquer, Arruda dos Vinhos, Azambuja e Vila Franca de Xira e ao Ministério do Emprego. 

Tribuna Pública - Emprego - Salários- Direitos

 

A Delegação dos sindical de Vila Franca de Xira, promove uma Tribuna Pública, sob o lema: Emprego. Salários. Direitos, dia 18 de Junho no Largo da Câmara. Esta iniciativa contará com a participação e intervenção de trabalhadores e activistas em representação de Organismos Representativos dos Trabalhadores (ORT’S). 

 

Vamos dar voz aos problemas e reivindicações dos trabalhadores das várias empresas e locais de trabalho desde o sector privado à administração pública. 

 

A Precariedade é um dos maiores flagelos que atinge o mundo do trabalho, os trabalhadores com vínculo precário são os primeiros a serem alvo de despedimento a que se somam os despedimentos colectivos e milhares de despedimentos encapotados sob a falsa figura de saídas por mútuo acordo. 

 

O drama do desemprego veio contribuir para agravar ainda mais as condições de vida e de trabalho, da população dos concelhos de Alenquer, Arruda, Azambuja e Vila Franca de Xira. Em Abril eram perto de 8 000 desempregados inscritos no IEFP, o que constitui um aumento de 11 % face a Abril de 2020, mês em que já se sentia o impacto da pandemia.  

 

Nesta Tribuna Pública vamos contar com a participação e intervenção do Coordenador da União dos Sindicatos de Lisboa e membro da Comissão Executiva da CGTP-IN Libério Domingues. 

 

 

STML celebra Novo ACEP com Junta de Freguesia de Santa Maria Maior

A 8 de Junho foi celebrado com a Junta de Freguesia de Santa Maria Maior um novo Acordo Coletivo de Empregador Público (ACEP). 

 

O Sindicato dos Trabalhadores do Município de Lisboa salienta as seguintes matérias acordadas:

 

  • a atribuição de 3 dias de férias para os trabalhadores da freguesia com avaliação positiva (adequado, relevante ou excelente através do siadap);
  • a atribuição do dia de aniversário;  a atribuição do dia de Carnaval;  
  • O descanso compensatório pelo trabalho prestado em dia feriado; 
  • a Dispensa por luto para trabalhadores netos e avós, igual aos parentes de 1º grau, e para os tios e sobrinhos, igual aos parentes de 2º grau.

O STML continuará a trabalhar para que a realidade alcançada em Santa Maria Maior, seja também possível para os trabalhadores de todas as freguesias da cidade de Lisboa. 

STML Celebra ACEP com JF Misericórdia

A 14 de Maio foi celebrado com a Junta de Freguesia da Misericórdia um novo Acordo Coletivo de Empregador Público (ACEP). Das matérias que interessa relevar, a atribuição de 3 dias de férias para os trabalhadores da freguesia com avaliação positiva (adequado, relevante ou excelente através do SIADAP).

Foi igualmente institucionalizado e como tal garantido:
• A atribuição do dia de aniversário;
• A atribuição do dia de Carnaval;
• O descanso compensatório pelo trabalho prestado em dia feriado;
• A Dispensa por luto para trabalhadores netos e avós, igual aos parentes de 1º grau, e para os tios e sobrinhos, igual aos parentes de 2º grau.

O STML continuará a trabalhar para que a realidade alcançada na Misericórdia, seja também possível para os trabalhadores de todas as freguesias da cidade de Lisboa.

O Teletrabalho e os Trabalhadores

O teletrabalho tem vindo a generalizar-se e constitui uma recente organização de trabalho, que rapidamente se revelou para muitos patrões uma forma de fragilizar e explorar os trabalhadores.

A CGTP-IN lançou um folheto onde compila um conjunto de informações sobre os direitos e alerta para os perigos da generalização do teletrabalho em termos de saúde e segurança. O Isolamento é um dos muitos factores negativos com que estes trabalhadores estão confrontados, estar sindicalizado é fundamental para salvaguardar os direitos individuais e colectivos, só unidos conseguiremos uma sociedade de progresso com mais justiça social.

O ficheiro do folheto sobre direitos dos trabalhadores em teletrabalho pode ser descarregado da página da CGTP-IN, aqui.

Privacidade

Está em... Home Emprego