Congresso - União dos Sindicatos de Lisboa - CGTP-IN http://uniaolisboa-cgtp.pt/congresso 2018-07-19T00:14:27+01:00 Joomla! - Open Source Content Management JÁ COMEÇARAM OS TRABALHOS DO 11º CONGRESSO DA UNIÃO DOS SINDICATOS DE LISBOA! 2015-11-13T11:16:19+00:00 2015-11-13T11:16:19+00:00 http://uniaolisboa-cgtp.pt/congresso/1127-ja-comecaram-os-trabalhos-do-11-congresso-da-uniao-dos-sindicatos-de-lisboa João Casanova joao.casanova@netcabo.pt <div class="feed-description"><p style="margin: 0.0px 0.0px 0.0px 0.0px; font: 12.0px Helvetica;"><img src="images/stories/uniao_imgs/2015/NOV/capa_11_congresso_abertura.jpg" border="0" alt="JÁ COMEÇARAM OS TRABALHOS DO 11º CONGRESSO DA UNIÃO DOS SINDICATOS DE LISBOA!" width="264" style="float: left; border: 0;" />Está a realizar-se, entre hoje e amanhã, o 11º Congresso da União dos Sindicatos de Lisboa, a maior estrutura intermédia da CGTP-IN. Cerca de 250 delegados representantes dos sindicatos de todo o distrito, reúnem-se no Fórum Lisboa. Os delegados são chamados a contribuir para a discussão politica de onde sairão as linhas políticas orientadoras do trabalho da USL para os próximos quatro anos, que serão em si a afirmação do reforço do seu carácter de classe, só possível com o trabalho que os sindicatos têm desenvolvido na região de Lisboa, de reforço da luta dos trabalhadores. O início dos trabalhos foi precedido de um momento cultural, onde, a Companhia de Dança de Almada apresentou um excerto da Bailado "Olhares" que se move numa homenagem ao Cante Alentejano.</p> <p style="margin: 0.0px 0.0px 0.0px 0.0px; font: 12.0px Helvetica;">A intervenção de abertura do congresso foi realizada pelo Coordenador da USL, Libério Domingues.</p> <p style="margin: 0.0px 0.0px 0.0px 0.0px; font: 12.0px Helvetica;"> </p> <p style="margin: 0.0px 0.0px 0.0px 0.0px; font: 12.0px Helvetica;"><a href="images/stories/PDFs/intervencao_Liberio_11_congresso.pdf" target="_blank" title="intervenção coordenador liberio domingues">Ler intervenção de Libério Domingues.</a></p> <p style="margin: 0.0px 0.0px 0.0px 0.0px; font: 12.0px Helvetica;"> </p> <p style="margin: 0.0px 0.0px 0.0px 0.0px; font: 12.0px Helvetica;"><a href="galerias-fotograficas/11-congresso-da-usl" target="_blank" title="fotografias 11º congresso">Ver fotografias do 11º Congresso.</a></p></div> <div class="feed-description"><p style="margin: 0.0px 0.0px 0.0px 0.0px; font: 12.0px Helvetica;"><img src="images/stories/uniao_imgs/2015/NOV/capa_11_congresso_abertura.jpg" border="0" alt="JÁ COMEÇARAM OS TRABALHOS DO 11º CONGRESSO DA UNIÃO DOS SINDICATOS DE LISBOA!" width="264" style="float: left; border: 0;" />Está a realizar-se, entre hoje e amanhã, o 11º Congresso da União dos Sindicatos de Lisboa, a maior estrutura intermédia da CGTP-IN. Cerca de 250 delegados representantes dos sindicatos de todo o distrito, reúnem-se no Fórum Lisboa. Os delegados são chamados a contribuir para a discussão politica de onde sairão as linhas políticas orientadoras do trabalho da USL para os próximos quatro anos, que serão em si a afirmação do reforço do seu carácter de classe, só possível com o trabalho que os sindicatos têm desenvolvido na região de Lisboa, de reforço da luta dos trabalhadores. O início dos trabalhos foi precedido de um momento cultural, onde, a Companhia de Dança de Almada apresentou um excerto da Bailado "Olhares" que se move numa homenagem ao Cante Alentejano.</p> <p style="margin: 0.0px 0.0px 0.0px 0.0px; font: 12.0px Helvetica;">A intervenção de abertura do congresso foi realizada pelo Coordenador da USL, Libério Domingues.</p> <p style="margin: 0.0px 0.0px 0.0px 0.0px; font: 12.0px Helvetica;"> </p> <p style="margin: 0.0px 0.0px 0.0px 0.0px; font: 12.0px Helvetica;"><a href="images/stories/PDFs/intervencao_Liberio_11_congresso.pdf" target="_blank" title="intervenção coordenador liberio domingues">Ler intervenção de Libério Domingues.</a></p> <p style="margin: 0.0px 0.0px 0.0px 0.0px; font: 12.0px Helvetica;"> </p> <p style="margin: 0.0px 0.0px 0.0px 0.0px; font: 12.0px Helvetica;"><a href="galerias-fotograficas/11-congresso-da-usl" target="_blank" title="fotografias 11º congresso">Ver fotografias do 11º Congresso.</a></p></div> 10º CONGRESSO DA USL SAI À RUA EM DESFILE ATÉ À ASSEMBLEIA DA REPÚBLICA! 2011-11-12T12:57:14+00:00 2011-11-12T12:57:14+00:00 http://uniaolisboa-cgtp.pt/congresso/4-10o-congresso-da-usl-sai-a-rua-em-desfile-ate-a-assembleia-da-republica João Casanova joao.casanova@netcabo.pt <div class="feed-description"><p><img src="images/stories/uniao_imgs/2011/NOV/capa_10_congresso2.jpg" border="0" alt="capa_10_congresso2" width="265" height="102" style="float: left;" />Após eleita por unanimidade uma proposta de alteração ao regulamento de funcionamento do 10º Congresso, no fim da segunda sessão dos trabalhos, os delegados e convidados dirigiram-se em desfile até à Assembleia da República onde votaram simbolicamente o Orçamento de Estado rejeitando-o por unanimidade.</p> <p><a href="index.php?view=category&amp;catid=24&amp;option=com_joomgallery&amp;Itemid=80" target="_blank">Ver galeria de fotos do 10º Congresso da USL</a></p></div> <div class="feed-description"><p><img src="images/stories/uniao_imgs/2011/NOV/capa_10_congresso2.jpg" border="0" alt="capa_10_congresso2" width="265" height="102" style="float: left;" />Após eleita por unanimidade uma proposta de alteração ao regulamento de funcionamento do 10º Congresso, no fim da segunda sessão dos trabalhos, os delegados e convidados dirigiram-se em desfile até à Assembleia da República onde votaram simbolicamente o Orçamento de Estado rejeitando-o por unanimidade.</p> <p><a href="index.php?view=category&amp;catid=24&amp;option=com_joomgallery&amp;Itemid=80" target="_blank">Ver galeria de fotos do 10º Congresso da USL</a></p></div> 10º CONGRESSO DA UNIÃO DOS SINDICATOS DE LISBOA ABRE AS SUAS PORTAS 2011-11-11T14:01:32+00:00 2011-11-11T14:01:32+00:00 http://uniaolisboa-cgtp.pt/congresso/5-10o-congresso-da-uniao-dos-sindicatos-de-lisboa-abre-as-suas-portas João Casanova joao.casanova@netcabo.pt <div class="feed-description"><p><img src="images/stories/uniao_imgs/2011/NOV/capa_10_congresso.jpg" border="0" alt="capa_10_congresso" width="264" height="143" style="float: left;" />Iniciou-se o 10º Congresso da União dos Sindicatos de Lisboa, onde cerca de 300 delegados representantes dos sindicatos de todo o distrito, se reúnem hoje e amanhã no Cinema São Jorge. Onde todos os delegados são chamados a contribuir para a discussão politica e de onde sairão as linhas políticas orientadoras do trabalho da USL para os próximos quatro anos, que serão em si a afirmação do reforço do seu carácter de classe, só possível com o trabalho que os sindicatos têm desenvolvido na região de Lisboa, de reforço da luta dos trabalhadores.<br /><br /><a href="images/stories/PDFs/intervencao_liberio_abertura.pdf" target="_blank">Intervenção de abertura de Libério Domingues, coordenador da USL</a></p> <p><a href="index.php?view=category&amp;catid=24&amp;option=com_joomgallery&amp;Itemid=80" target="_blank">Ver galeria de fotos do Congresso</a></p></div> <div class="feed-description"><p><img src="images/stories/uniao_imgs/2011/NOV/capa_10_congresso.jpg" border="0" alt="capa_10_congresso" width="264" height="143" style="float: left;" />Iniciou-se o 10º Congresso da União dos Sindicatos de Lisboa, onde cerca de 300 delegados representantes dos sindicatos de todo o distrito, se reúnem hoje e amanhã no Cinema São Jorge. Onde todos os delegados são chamados a contribuir para a discussão politica e de onde sairão as linhas políticas orientadoras do trabalho da USL para os próximos quatro anos, que serão em si a afirmação do reforço do seu carácter de classe, só possível com o trabalho que os sindicatos têm desenvolvido na região de Lisboa, de reforço da luta dos trabalhadores.<br /><br /><a href="images/stories/PDFs/intervencao_liberio_abertura.pdf" target="_blank">Intervenção de abertura de Libério Domingues, coordenador da USL</a></p> <p><a href="index.php?view=category&amp;catid=24&amp;option=com_joomgallery&amp;Itemid=80" target="_blank">Ver galeria de fotos do Congresso</a></p></div> 10º CONGRESSO DA UNIÃO DOS SINDICATOS DE LISBOA - 11 E 12 DE NOVEMBRO - CINEMA SÃO JORGE 2011-10-21T12:34:45+01:00 2011-10-21T12:34:45+01:00 http://uniaolisboa-cgtp.pt/congresso/6-10o-congresso-da-uniao-dos-sindicatos-de-lisboa-11-e-12-de-novembro-cinema-sao-jorge João Casanova joao.casanova@netcabo.pt <div class="feed-description"><p><img src="images/stories/uniao_imgs/2011/OUT/cartaz_10_congresso.png" border="0" alt="cartaz_10_congresso" width="152" height="214" style="float: left;" />A União dos Sindicatos de Lisboa, a maior estrutura sindical da CGTP, vai realizar, nos dias 11 e 12 de Novembro no Cinema S. Jorge, o seu 10º Congresso sob o lema, Unir, Lutar, Avançar - Transformar o futuro com a força de quem trabalha.<br />O 10º Congresso da União dos Sindicatos de Lisboa realiza-se num quadro em que o poder económico e financeiro assume um crescente domínio sobre o poder politico, em que de forma cada vez mais submissa os sucessivos Governos se assumem como meros executores das orientações do Grande Capital, prosseguindo e intensificando uma política totalmente contrária aos interesses dos trabalhadores, do povo e do País; num contexto em que aqueles que são os verdadeiros responsáveis pela grave situação em que vivemos se ajoelham e capitulam perante as imposições das troikas do grande capital nacional e internacional, subscrevendo ou apresentando programas cujas medidas constituem uma autêntica declaração de guerra aos trabalhadores e ao povo, um atentado à democracia e que comprometem o futuro de Portugal como país livre e soberano.<br />O momento político económico e social exige, pela parte de todos os que estão a ser duramente atingidos, uma resposta firme e determinada, uma resposta consequente, combativa e organizada. Uma resposta que exige um movimento sindical de classe, princípios e objectivos da USL/CGTP-IN e dos sindicatos que a integram. <br />Os sindicatos têm um papel fundamental na construção de alternativas aos mais diversos níveis, quer no Sector Privado ou no Sector Público, contribuindo decisivamente para o reforço e consolidação da CGTP-IN como a grande Central Sindical de todos os trabalhadores, que lutam pela dignificação e valorização do trabalho e dos trabalhadores, que assegurem um futuro diferente, com progresso, justiça social e desenvolvimento efectivo do distrito e do País.</p> </div> <div class="feed-description"><p><img src="images/stories/uniao_imgs/2011/OUT/cartaz_10_congresso.png" border="0" alt="cartaz_10_congresso" width="152" height="214" style="float: left;" />A União dos Sindicatos de Lisboa, a maior estrutura sindical da CGTP, vai realizar, nos dias 11 e 12 de Novembro no Cinema S. Jorge, o seu 10º Congresso sob o lema, Unir, Lutar, Avançar - Transformar o futuro com a força de quem trabalha.<br />O 10º Congresso da União dos Sindicatos de Lisboa realiza-se num quadro em que o poder económico e financeiro assume um crescente domínio sobre o poder politico, em que de forma cada vez mais submissa os sucessivos Governos se assumem como meros executores das orientações do Grande Capital, prosseguindo e intensificando uma política totalmente contrária aos interesses dos trabalhadores, do povo e do País; num contexto em que aqueles que são os verdadeiros responsáveis pela grave situação em que vivemos se ajoelham e capitulam perante as imposições das troikas do grande capital nacional e internacional, subscrevendo ou apresentando programas cujas medidas constituem uma autêntica declaração de guerra aos trabalhadores e ao povo, um atentado à democracia e que comprometem o futuro de Portugal como país livre e soberano.<br />O momento político económico e social exige, pela parte de todos os que estão a ser duramente atingidos, uma resposta firme e determinada, uma resposta consequente, combativa e organizada. Uma resposta que exige um movimento sindical de classe, princípios e objectivos da USL/CGTP-IN e dos sindicatos que a integram. <br />Os sindicatos têm um papel fundamental na construção de alternativas aos mais diversos níveis, quer no Sector Privado ou no Sector Público, contribuindo decisivamente para o reforço e consolidação da CGTP-IN como a grande Central Sindical de todos os trabalhadores, que lutam pela dignificação e valorização do trabalho e dos trabalhadores, que assegurem um futuro diferente, com progresso, justiça social e desenvolvimento efectivo do distrito e do País.</p> </div> DOCUMENTOS APROVADOS NO 11º CONGRESSO DA USL 2015-11-17T12:46:09+00:00 2015-11-17T12:46:09+00:00 http://uniaolisboa-cgtp.pt/congresso/documentos/1132-documentos-aprovados-no-11-congresso-da-usl João Casanova joao.casanova@netcabo.pt <div class="feed-description"><p><img src="images/stories/uniao_imgs/2015/NOV/capa_documentos_congresso.jpg" border="0" alt="11º congresso usl documentos" width="264" style="border: 0; float: left;" />Realizado nos passados dias 13 e 14 de Novembro, sob o lema, “MAIS UNIÃO! COM CONFIANÇA NA LUTA, MAIS FORÇA A QUEM TRABALHA!” o 11º Congresso da União dos Sindicatos de Lisboa assenta nessa exigência, com o entendimento e convicção de que a força dos trabalhadores, unidos e organizados, é determinante na luta de classes, o motor das grandes transformações da sociedade. É nos locais de trabalho que os trabalhadores percebem melhor a exploração, que se desencadeia o conflito laboral e a acção reivindicativa, é a partir de lá que a consciência de classe e a luta de massas se ampliam e desenvolvem. É nos locais de trabalho que se concentram e se sindicalizam os trabalhadores, onde se elegem os delegados sindicais e os seus representantes, onde se recrutam quadros para os diferentes níveis da estrutura sindical. Neste sentido, o XI Congresso da USL elegeu como objectivos centrais da sua intervenção. Reforçar a organização, afirmando a acção sindical integrada, para uma melhor e mais eficaz intervenção dos sindicatos. Promover a unidade dos trabalhadores no quadro da plena consideração dos princípios e objectivos da CGTP-IN. A acção sindical integrada tem-se demonstrado como o método de trabalho mais consequente para consolidar a presença e afirmação dos sindicatos nos locais de trabalho, reforçar a organização de base, promover a acção reivindicativa e desenvolver a luta. A USL pode e deve, no quadro das suas competências, ter um papel fortemente dinamizador dessa acção.</p> <p><a href="images/stories/PDFs/programa_accao.pdf" target="_blank" title="Programa de Acção">Ler o Programa de Acção aprovado no Congresso.</a></p> <p><a href="images/stories/PDFs/documento_caracterizacao.pdf" target="_blank" title="Documento de Caracterização do Distrito">Ler o Documento de Caracterização do Distrito.</a></p> <p><a href="images/stories/PDFs/prioridades_para_accao_sindical.pdf" target="_blank" title="Prioridades para a acção sindical">Ler as Prioridades para a Acção Sindical.</a></p></div> <div class="feed-description"><p><img src="images/stories/uniao_imgs/2015/NOV/capa_documentos_congresso.jpg" border="0" alt="11º congresso usl documentos" width="264" style="border: 0; float: left;" />Realizado nos passados dias 13 e 14 de Novembro, sob o lema, “MAIS UNIÃO! COM CONFIANÇA NA LUTA, MAIS FORÇA A QUEM TRABALHA!” o 11º Congresso da União dos Sindicatos de Lisboa assenta nessa exigência, com o entendimento e convicção de que a força dos trabalhadores, unidos e organizados, é determinante na luta de classes, o motor das grandes transformações da sociedade. É nos locais de trabalho que os trabalhadores percebem melhor a exploração, que se desencadeia o conflito laboral e a acção reivindicativa, é a partir de lá que a consciência de classe e a luta de massas se ampliam e desenvolvem. É nos locais de trabalho que se concentram e se sindicalizam os trabalhadores, onde se elegem os delegados sindicais e os seus representantes, onde se recrutam quadros para os diferentes níveis da estrutura sindical. Neste sentido, o XI Congresso da USL elegeu como objectivos centrais da sua intervenção. Reforçar a organização, afirmando a acção sindical integrada, para uma melhor e mais eficaz intervenção dos sindicatos. Promover a unidade dos trabalhadores no quadro da plena consideração dos princípios e objectivos da CGTP-IN. A acção sindical integrada tem-se demonstrado como o método de trabalho mais consequente para consolidar a presença e afirmação dos sindicatos nos locais de trabalho, reforçar a organização de base, promover a acção reivindicativa e desenvolver a luta. A USL pode e deve, no quadro das suas competências, ter um papel fortemente dinamizador dessa acção.</p> <p><a href="images/stories/PDFs/programa_accao.pdf" target="_blank" title="Programa de Acção">Ler o Programa de Acção aprovado no Congresso.</a></p> <p><a href="images/stories/PDFs/documento_caracterizacao.pdf" target="_blank" title="Documento de Caracterização do Distrito">Ler o Documento de Caracterização do Distrito.</a></p> <p><a href="images/stories/PDFs/prioridades_para_accao_sindical.pdf" target="_blank" title="Prioridades para a acção sindical">Ler as Prioridades para a Acção Sindical.</a></p></div> Intervenção sobre o Emprego - Fernando Ambrioso 2015-11-16T17:27:27+00:00 2015-11-16T17:27:27+00:00 http://uniaolisboa-cgtp.pt/congresso/documentos/1165-intervencao-sobre-o-emprego-fernando-ambrioso João Casanova joao.casanova@netcabo.pt <div class="feed-description"><p><img src="images/stories/uniao_imgs/DD20152019/fernando_ambrioso.jpg" border="0" alt="Fernando Ambrioso" width="150" height="225" style="float: left;" />Falar sobre o emprego implica desde logo falar da quantidade de emprego gerado e destruído, da qualidade do emprego criado, do modelo de desenvolvimento que se pretende, tendo em conta a criação de postos de trabalho e com isso a redução do número de desempregados e melhoria das condições de vida e trabalho a que cada um tem direito, segundo a nossa constituição. Tendo por base o que acabo de dizer, torna-se hoje mais difícil falar deste tema. Não porque nestes quatro anos que mediaram entre o nosso X Congresso e hoje tenha aumentado a complexidade na análise dos números oficiais.</p> <p><a href="images/stories/PDFs/Fernando_Ambrioso_Intervencao_Emprego.pdf" target="_blank" title="Intervenção sobre o Emprego">Ler intervenção.</a></p></div> <div class="feed-description"><p><img src="images/stories/uniao_imgs/DD20152019/fernando_ambrioso.jpg" border="0" alt="Fernando Ambrioso" width="150" height="225" style="float: left;" />Falar sobre o emprego implica desde logo falar da quantidade de emprego gerado e destruído, da qualidade do emprego criado, do modelo de desenvolvimento que se pretende, tendo em conta a criação de postos de trabalho e com isso a redução do número de desempregados e melhoria das condições de vida e trabalho a que cada um tem direito, segundo a nossa constituição. Tendo por base o que acabo de dizer, torna-se hoje mais difícil falar deste tema. Não porque nestes quatro anos que mediaram entre o nosso X Congresso e hoje tenha aumentado a complexidade na análise dos números oficiais.</p> <p><a href="images/stories/PDFs/Fernando_Ambrioso_Intervencao_Emprego.pdf" target="_blank" title="Intervenção sobre o Emprego">Ler intervenção.</a></p></div> Intervenção da Inter-Reformados Lisboa - Virgílio Guerreiro 2015-11-16T17:24:06+00:00 2015-11-16T17:24:06+00:00 http://uniaolisboa-cgtp.pt/congresso/documentos/1164-intervencao-da-inter-reformados-lisboa-virgilio-guerreiro João Casanova joao.casanova@netcabo.pt <div class="feed-description"><p><img src="images/stories/uniao_imgs/2015/NOV/banner_11congressoUSL_cartaz.jpg" border="0" width="156" height="227" style="float: left;" />Em nome da Direcção da Inter-Reformados/Lisboa saúdo todos os Delegados e Convidados ao 11º Congresso da USL. A Inter-Reformados/Lisboa tem como missão organizar e representar os trabalhadores reformados na defesa dos seus direitos colectivos, no âmbito do MSU do distrito de Lisboa. A sua actividade, com o apoio logístico da USL, é desenvolvida em sintonia e articulação com a Inter-Reformados Nacional e as orientações da CGTP-IN. Sendo Lisboa o distrito com a maior população de reformados e onde a força do MSU assume elevada expressão, cabe-nos uma missão exigente de enquadramento desta vasta e complexa frente de trabalho.</p> <p><a href="images/stories/PDFs/Virgilio_Guerreiro_IR_Lisboa.pdf" target="_blank" title="Inter Reformados Lisboa">Ler intervenção.</a></p></div> <div class="feed-description"><p><img src="images/stories/uniao_imgs/2015/NOV/banner_11congressoUSL_cartaz.jpg" border="0" width="156" height="227" style="float: left;" />Em nome da Direcção da Inter-Reformados/Lisboa saúdo todos os Delegados e Convidados ao 11º Congresso da USL. A Inter-Reformados/Lisboa tem como missão organizar e representar os trabalhadores reformados na defesa dos seus direitos colectivos, no âmbito do MSU do distrito de Lisboa. A sua actividade, com o apoio logístico da USL, é desenvolvida em sintonia e articulação com a Inter-Reformados Nacional e as orientações da CGTP-IN. Sendo Lisboa o distrito com a maior população de reformados e onde a força do MSU assume elevada expressão, cabe-nos uma missão exigente de enquadramento desta vasta e complexa frente de trabalho.</p> <p><a href="images/stories/PDFs/Virgilio_Guerreiro_IR_Lisboa.pdf" target="_blank" title="Inter Reformados Lisboa">Ler intervenção.</a></p></div> Intervenção sobre Informação e Comunicação Sindical - Célia Portela 2015-11-16T17:16:36+00:00 2015-11-16T17:16:36+00:00 http://uniaolisboa-cgtp.pt/congresso/documentos/1163-intervencao-sobre-informacao-e-comunicacao-sindical-celia-portela João Casanova joao.casanova@netcabo.pt <div class="feed-description"><p><img src="images/stories/uniao_imgs/DD20152019/celia_portela.jpg" border="0" width="150" height="225" style="float: left;" />A informação e comunicação sindical constituem um instrumento fundamental para a acção sindical, têm como objectivo informar, esclarecer, melhorar a ligação dos trabalhadores aos sindicatos, reforçar a consciência de classe, mobilizar para a luta. Neste mandato a mensagem centrou-se inevitavelmente na luta contra as consequências de uma política que roubou nos salários e direitos dos trabalhadores, os reformados e os pensionistas, esmagou os desempregados e expulsou os jovens para fora do país.</p> <p><a href="images/stories/PDFs/Celia_Portela_Comunicacao_Propaganda.pdf" target="_blank" title="Comunicação Sindical">Ler intervenção.</a></p></div> <div class="feed-description"><p><img src="images/stories/uniao_imgs/DD20152019/celia_portela.jpg" border="0" width="150" height="225" style="float: left;" />A informação e comunicação sindical constituem um instrumento fundamental para a acção sindical, têm como objectivo informar, esclarecer, melhorar a ligação dos trabalhadores aos sindicatos, reforçar a consciência de classe, mobilizar para a luta. Neste mandato a mensagem centrou-se inevitavelmente na luta contra as consequências de uma política que roubou nos salários e direitos dos trabalhadores, os reformados e os pensionistas, esmagou os desempregados e expulsou os jovens para fora do país.</p> <p><a href="images/stories/PDFs/Celia_Portela_Comunicacao_Propaganda.pdf" target="_blank" title="Comunicação Sindical">Ler intervenção.</a></p></div> Intervenção sobre a Administração Local - João Coelho 2015-11-16T17:09:43+00:00 2015-11-16T17:09:43+00:00 http://uniaolisboa-cgtp.pt/congresso/documentos/1162-intervencao-sobre-a-administracao-local-joao-coelho João Casanova joao.casanova@netcabo.pt <div class="feed-description"><p><img src="images/stories/uniao_imgs/DD20152019/joao_coelho.jpg" border="0" alt="João Coelho" width="150" height="225" style="border: 0; float: left;" />O Poder Local Democrático é um pilar fundamental da democracia portuguesa, constituindo um dos eixos fundamentais da definição do Estado Português. Foi uma das maiores conquistas da democracia nascida com a revolução de Abril e um elemento fundamental na sua consolidação e afirmação. Ao longo dos últimos 39 anos, contribuiu de forma ímpar para a recuperação do atraso infraestrutural, para a redução das assimetrias regionais e para o desenvolvimento dos mais recônditos locais, prestando serviços públicos essenciais às populações e desempenhando também um papel primordial na dinamização do investimento, publico e privado sendo também responsável pela criação de emprego, directo e indirecto, promovendo desta forma profundas alterações económicas e sociais  marcando o rumo da descentralização democrática do Estado.</p> <p><a href="images/stories/PDFs/Joao_Coelho_Administracao_Local.pdf" target="_blank" title="Administração Local">Ler intervenção.</a></p></div> <div class="feed-description"><p><img src="images/stories/uniao_imgs/DD20152019/joao_coelho.jpg" border="0" alt="João Coelho" width="150" height="225" style="border: 0; float: left;" />O Poder Local Democrático é um pilar fundamental da democracia portuguesa, constituindo um dos eixos fundamentais da definição do Estado Português. Foi uma das maiores conquistas da democracia nascida com a revolução de Abril e um elemento fundamental na sua consolidação e afirmação. Ao longo dos últimos 39 anos, contribuiu de forma ímpar para a recuperação do atraso infraestrutural, para a redução das assimetrias regionais e para o desenvolvimento dos mais recônditos locais, prestando serviços públicos essenciais às populações e desempenhando também um papel primordial na dinamização do investimento, publico e privado sendo também responsável pela criação de emprego, directo e indirecto, promovendo desta forma profundas alterações económicas e sociais  marcando o rumo da descentralização democrática do Estado.</p> <p><a href="images/stories/PDFs/Joao_Coelho_Administracao_Local.pdf" target="_blank" title="Administração Local">Ler intervenção.</a></p></div> Intervenção de abertura - Libério Domigues 2015-11-16T17:07:17+00:00 2015-11-16T17:07:17+00:00 http://uniaolisboa-cgtp.pt/congresso/documentos/1161-intervencao-de-abertura-liberio-domigues João Casanova joao.casanova@netcabo.pt <div class="feed-description"><p><img src="images/stories/uniao_imgs/DD20152019/liberio_domingues.jpg" border="0" width="150" height="225" style="float: left;" />Eis-nos chegados ao 11º Congresso da USL, o mais importante e significativo acontecimento na vida desta organização, a maior e mais representativa estrutura intermédia da CGTP-IN. Este é sempre o momento por excelência para a análise e balanço do trabalho realizado e simultaneamente para definir e lançar o trabalho futuro.</p> <p>Nestes últimos 4 anos o mundo ficou mais desigual e perigoso. </p> <p><a href="images/stories/PDFs/intervencao_Liberio_11_congresso.pdf" target="_blank" title="Intervenção de abertura">Ler intervenção.</a></p></div> <div class="feed-description"><p><img src="images/stories/uniao_imgs/DD20152019/liberio_domingues.jpg" border="0" width="150" height="225" style="float: left;" />Eis-nos chegados ao 11º Congresso da USL, o mais importante e significativo acontecimento na vida desta organização, a maior e mais representativa estrutura intermédia da CGTP-IN. Este é sempre o momento por excelência para a análise e balanço do trabalho realizado e simultaneamente para definir e lançar o trabalho futuro.</p> <p>Nestes últimos 4 anos o mundo ficou mais desigual e perigoso. </p> <p><a href="images/stories/PDFs/intervencao_Liberio_11_congresso.pdf" target="_blank" title="Intervenção de abertura">Ler intervenção.</a></p></div> Intervenção de encerramento - Libério Domingues 2015-11-16T15:23:55+00:00 2015-11-16T15:23:55+00:00 http://uniaolisboa-cgtp.pt/congresso/documentos/1172-intervencao-de-encerramento-liberio-domingues João Casanova joao.casanova@netcabo.pt <div class="feed-description"><p><img src="images/stories/uniao_imgs/2015/NOV/liberio_domingues_02.jpg" border="0" alt="Libério Domingues" width="200" height="133" style="float: left;" />Gostaria antes de mais, em nome da Direcção da USL, saudar e agradecer a todos os convidados que durante este dia e meio nos honraram com a sua presença. Estamos a chegar ao fim dos trabalhos deste 11º Congresso da USL e o balanço que desde já se pode adiantar, é que ele correspondeu por inteiro aos objectivos que lhe estavam subjacentes nomeadamente, quanto à análise e balanço do trabalho realizado e quanto à definição das principais linhas, objectivos e orientações para o trabalho futuro. Pelo conjunto e pelo conteúdo dos testemunhos aqui trazidos, é fácil concluirmos, que o que fizemos nestes últimos 4 anos foi de uma extraordinária riqueza e dimensão, no que respeita à luta desenvolvida, nos mais diversos sectores e aos mais variados níveis.Por aqui passaram muitas das lutas travadas pelos trabalhadores dos sectores privado, público e empresarial do Estado.</p> <p><a href="images/stories/PDFs/Intervencao_Liberio_final.pdf" target="_blank" title="intervenção encerramento libério domingues" style="font-size: 12.16px; line-height: 1.3em;">Ler intervenção.</a></p></div> <div class="feed-description"><p><img src="images/stories/uniao_imgs/2015/NOV/liberio_domingues_02.jpg" border="0" alt="Libério Domingues" width="200" height="133" style="float: left;" />Gostaria antes de mais, em nome da Direcção da USL, saudar e agradecer a todos os convidados que durante este dia e meio nos honraram com a sua presença. Estamos a chegar ao fim dos trabalhos deste 11º Congresso da USL e o balanço que desde já se pode adiantar, é que ele correspondeu por inteiro aos objectivos que lhe estavam subjacentes nomeadamente, quanto à análise e balanço do trabalho realizado e quanto à definição das principais linhas, objectivos e orientações para o trabalho futuro. Pelo conjunto e pelo conteúdo dos testemunhos aqui trazidos, é fácil concluirmos, que o que fizemos nestes últimos 4 anos foi de uma extraordinária riqueza e dimensão, no que respeita à luta desenvolvida, nos mais diversos sectores e aos mais variados níveis.Por aqui passaram muitas das lutas travadas pelos trabalhadores dos sectores privado, público e empresarial do Estado.</p> <p><a href="images/stories/PDFs/Intervencao_Liberio_final.pdf" target="_blank" title="intervenção encerramento libério domingues" style="font-size: 12.16px; line-height: 1.3em;">Ler intervenção.</a></p></div> Intervenção sobre unidade na acção e luta dos trabalhadores por uma política alternativa - Fátima Messias 2015-11-16T15:12:06+00:00 2015-11-16T15:12:06+00:00 http://uniaolisboa-cgtp.pt/congresso/documentos/1171-intervencao-sobre-unidade-na-accao-e-luta-dos-trabalhadores-por-uma-politica-alternativa-fatima-messias João Casanova joao.casanova@netcabo.pt <div class="feed-description"><p><img src="images/stories/uniao_imgs/2015/NOV/fatima_messias.jpg" border="0" alt="Fátima Messias" width="200" height="133" style="float: left;" />Ocorrendo num momento histórico particular, o Congresso da União coloca-nos novos e acrescidos desafios para o desenvolvimento do trabalho sindical no distrito. Chegámos de um tempo em que a impunidade e a prepotência pareciam ser os únicos valores que o patronato e o governo queriam fazer perpetuar.</p> <p>Os vencedores – que eram eles – não tinham deveres.</p> <p>Os vencidos – que éramos nós – não tinham direitos.</p> <p>Temos agora nas nossas mãos a possibilidade de escrever uma nova história. A nossa. Alicerçados no projecto, nos valores e nos princípios, indissociáveis uns dos outros, que nos identificam, como a unidade na acção, baseada em interesses de classe comuns e no combate a todas as medidas tendentes à sua divisão. É a partir de cada local de trabalho que a unidade se constrói, com o conhecimento e tratamento dos problemas concretos dos trabalhadores e das trabalhadoras, independentemente da sua sindicalização ou filiação partidária, de serem mais velhos ou mais novos, de serem homens ou mulheres, do vínculo de trabalho efectivo ou precário, ou de serem trabalhadores do sector privado ou do sector público. A primeira condição para modificar a realidade consiste em conhecê-la. É fundamental encarar as questões e tratar os problemas laborais concretos, não dissociados da política mais geral, dado que cada vez se acentua mais o confronto ideológico entre o trabalho e o capital.</p> <p><a href="images/stories/PDFs/Fatima_Messias_Unidade_accao_luta_politica_alternativa.pdf" target="_blank" title="Intervenção sobre unidade na acção e luta dos trabalhadores por uma política alternativa">Ler intervenção.</a></p></div> <div class="feed-description"><p><img src="images/stories/uniao_imgs/2015/NOV/fatima_messias.jpg" border="0" alt="Fátima Messias" width="200" height="133" style="float: left;" />Ocorrendo num momento histórico particular, o Congresso da União coloca-nos novos e acrescidos desafios para o desenvolvimento do trabalho sindical no distrito. Chegámos de um tempo em que a impunidade e a prepotência pareciam ser os únicos valores que o patronato e o governo queriam fazer perpetuar.</p> <p>Os vencedores – que eram eles – não tinham deveres.</p> <p>Os vencidos – que éramos nós – não tinham direitos.</p> <p>Temos agora nas nossas mãos a possibilidade de escrever uma nova história. A nossa. Alicerçados no projecto, nos valores e nos princípios, indissociáveis uns dos outros, que nos identificam, como a unidade na acção, baseada em interesses de classe comuns e no combate a todas as medidas tendentes à sua divisão. É a partir de cada local de trabalho que a unidade se constrói, com o conhecimento e tratamento dos problemas concretos dos trabalhadores e das trabalhadoras, independentemente da sua sindicalização ou filiação partidária, de serem mais velhos ou mais novos, de serem homens ou mulheres, do vínculo de trabalho efectivo ou precário, ou de serem trabalhadores do sector privado ou do sector público. A primeira condição para modificar a realidade consiste em conhecê-la. É fundamental encarar as questões e tratar os problemas laborais concretos, não dissociados da política mais geral, dado que cada vez se acentua mais o confronto ideológico entre o trabalho e o capital.</p> <p><a href="images/stories/PDFs/Fatima_Messias_Unidade_accao_luta_politica_alternativa.pdf" target="_blank" title="Intervenção sobre unidade na acção e luta dos trabalhadores por uma política alternativa">Ler intervenção.</a></p></div> Intervenção sobre actividade sindical e a igualdade - Maria das Dores Gomes 2015-11-16T15:05:00+00:00 2015-11-16T15:05:00+00:00 http://uniaolisboa-cgtp.pt/congresso/documentos/1170-intervencao-sobre-actividade-sindical-e-a-igualdade-maria-das-dores-gomes João Casanova joao.casanova@netcabo.pt <div class="feed-description"><p><img src="images/stories/uniao_imgs/DD20152019/dores_gomes.jpg" border="0" alt="Dores Gomes" width="150" height="225" style="float: left;" />Camaradas, passados mais de 40 anos de liberdade em Portugal, muitos avanços se deram nos direitos sociais e laborais, no desenvolvimento económico e na justiça social; Direitos esses consagrados na Constituição da República Portuguesa, na contratação colectiva e na legislação, em particular no que diz respeito à igualdade de oportunidades e de tratamento entre mulheres e homens, em todas as vertentes da vida em sociedade, ou seja no trabalho e no emprego.</p> <p>Mas hoje vivemos tempos de retrocesso histórico e civilizacional. Os trabalhadores e trabalhadoras portugueses enfrentam a situação mais grave da história recente, fruto da política de direita, que investiu contra os direitos conquistados nestes anos de liberdade e progresso.</p> <p>Desde 2008, o país perdeu um em cada sete postos de trabalho, em especial a partir de 2014, com o chamado memorando da TROIKA, atingindo principalmente a camada jovem, cuja taxa de desemprego é de 37% e destes 40% atinge jovens mulheres.</p> <p><a href="images/stories/PDFs/Maria_Dores_Gomes_Intervencao_Sindical_Igualdade.pdf" target="_blank" title="Intervenção sobre actividade sindical e a igualdade">Ler intervenção.</a></p></div> <div class="feed-description"><p><img src="images/stories/uniao_imgs/DD20152019/dores_gomes.jpg" border="0" alt="Dores Gomes" width="150" height="225" style="float: left;" />Camaradas, passados mais de 40 anos de liberdade em Portugal, muitos avanços se deram nos direitos sociais e laborais, no desenvolvimento económico e na justiça social; Direitos esses consagrados na Constituição da República Portuguesa, na contratação colectiva e na legislação, em particular no que diz respeito à igualdade de oportunidades e de tratamento entre mulheres e homens, em todas as vertentes da vida em sociedade, ou seja no trabalho e no emprego.</p> <p>Mas hoje vivemos tempos de retrocesso histórico e civilizacional. Os trabalhadores e trabalhadoras portugueses enfrentam a situação mais grave da história recente, fruto da política de direita, que investiu contra os direitos conquistados nestes anos de liberdade e progresso.</p> <p>Desde 2008, o país perdeu um em cada sete postos de trabalho, em especial a partir de 2014, com o chamado memorando da TROIKA, atingindo principalmente a camada jovem, cuja taxa de desemprego é de 37% e destes 40% atinge jovens mulheres.</p> <p><a href="images/stories/PDFs/Maria_Dores_Gomes_Intervencao_Sindical_Igualdade.pdf" target="_blank" title="Intervenção sobre actividade sindical e a igualdade">Ler intervenção.</a></p></div> Intervenção sobre organização e descentralização sindical - Jorge Antunes 2015-11-16T12:59:00+00:00 2015-11-16T12:59:00+00:00 http://uniaolisboa-cgtp.pt/congresso/documentos/1168-intervencao-sobre-organizacao-e-descentralizacao-sindical-jorge-antunes João Casanova joao.casanova@netcabo.pt <div class="feed-description"><p><img src="images/stories/uniao_imgs/DD20152019/jorge_antunes.jpg" border="0" alt="Jorge Antunes" width="150" height="225" style="float: left;" />A Organização sindical tem o seu início na sindicalização. Os trabalhadores sindicalizados são a base de toda a nossa estrutura: eleger ou ser eleito para os diversos cargos sindicais, obriga primeiro a estar sindicalizado. É certo que existem dificuldades, entraves nas empresas ao trabalho sindical, apelos ao individualismo, discriminação e perseguição a activistas sindicais, mas todas essas dificuldades que nos criam não têm sido suficientes para desmotivarem este grande colectivo de mulheres e homens que no dia a dia trabalha no reforço da Organização Sindical de Base do MSU. Com confiança vamos trabalhar para que se cumpra o objectivo estabelecido no Programa de Acção de se sindicalizarem neste mandato 25 mil trabalhadores. O aumento da sindicalização, como principal prioridade organizativa, ligada ao desenvolvimento de uma acção sindical forte e à resolução dos problemas existentes, à reivindicação, ao exercício e defesa da contratação colectiva e à efectivação dos direitos é o contribuir para o reforço da organização sindical de base é dar corpo à Acção Sindical.</p> <p><a href="images/stories/PDFs/Jorge_Antunes_organizacao_gestao_administrativa_financas.pdf" target="_blank" title="Intervenção gestão administrativa">Ler intervenção.</a></p></div> <div class="feed-description"><p><img src="images/stories/uniao_imgs/DD20152019/jorge_antunes.jpg" border="0" alt="Jorge Antunes" width="150" height="225" style="float: left;" />A Organização sindical tem o seu início na sindicalização. Os trabalhadores sindicalizados são a base de toda a nossa estrutura: eleger ou ser eleito para os diversos cargos sindicais, obriga primeiro a estar sindicalizado. É certo que existem dificuldades, entraves nas empresas ao trabalho sindical, apelos ao individualismo, discriminação e perseguição a activistas sindicais, mas todas essas dificuldades que nos criam não têm sido suficientes para desmotivarem este grande colectivo de mulheres e homens que no dia a dia trabalha no reforço da Organização Sindical de Base do MSU. Com confiança vamos trabalhar para que se cumpra o objectivo estabelecido no Programa de Acção de se sindicalizarem neste mandato 25 mil trabalhadores. O aumento da sindicalização, como principal prioridade organizativa, ligada ao desenvolvimento de uma acção sindical forte e à resolução dos problemas existentes, à reivindicação, ao exercício e defesa da contratação colectiva e à efectivação dos direitos é o contribuir para o reforço da organização sindical de base é dar corpo à Acção Sindical.</p> <p><a href="images/stories/PDFs/Jorge_Antunes_organizacao_gestao_administrativa_financas.pdf" target="_blank" title="Intervenção gestão administrativa">Ler intervenção.</a></p></div> Intervenção sobre a luta contra a precariedade - Isabel Camarinha 2015-11-16T12:49:04+00:00 2015-11-16T12:49:04+00:00 http://uniaolisboa-cgtp.pt/congresso/documentos/1167-intervencao-sobre-a-luta-contra-a-precariedade-isabel-camarinha João Casanova joao.casanova@netcabo.pt <div class="feed-description"><p><img src="images/stories/uniao_imgs/DD20152019/isabel_camarinha.jpg" border="0" alt="Isabel Camarinha" width="150" height="225" style="float: left;" />Como referimos no nosso projecto de Programa de Acção, o trabalho precário representa uma das formas de aumentar a exploração, reduzindo custos, atirando um número crescente de trabalhadores (jovens e menos jovens) para uma instabilidade laboral que se reflecte na instabilidade das suas vidas. Os muitos milhares de vínculos precários para postos de trabalho permanentes vão desde os contratos a termo (ao dia, ao mês, à tarefa), à falsa prestação de serviços (recibos verdes), aluguer de mão-de-obra, recurso a estágios profissionais, contratos de emprego-inserção, trabalho temporário, outsourcing… No nosso Distrito, nos últimos 4 anos generalizou-se ainda mais o recurso à precariedade, sendo que 1 em cada 5 trabalhadores por conta de outrem tem hoje um vínculo precário, atingindo já mais de 225 mil trabalhadores, dos quais 7 em cada 10 são jovens (e estes são os números que conseguimos contabilizar, pois das estatísticas não constam os milhares de falsos recibos verdes). No total os vínculos precários atingem de forma quase igual mulheres e homens mas quando analisamos os contratos dos trabalhadores com menos de 25 anos verificamos que as jovens mulheres são particularmente atingidas pela precariedade, sendo que 8 em cada 10 trabalhadoras com menos de 25 anos têm vínculo precário.</p> <p><a href="images/stories/PDFs/Isabel_Camarinha_Luta_Precariedade.pdf" target="_blank" title="Intervenção luta contra precariedade">Ler intervenção.</a></p></div> <div class="feed-description"><p><img src="images/stories/uniao_imgs/DD20152019/isabel_camarinha.jpg" border="0" alt="Isabel Camarinha" width="150" height="225" style="float: left;" />Como referimos no nosso projecto de Programa de Acção, o trabalho precário representa uma das formas de aumentar a exploração, reduzindo custos, atirando um número crescente de trabalhadores (jovens e menos jovens) para uma instabilidade laboral que se reflecte na instabilidade das suas vidas. Os muitos milhares de vínculos precários para postos de trabalho permanentes vão desde os contratos a termo (ao dia, ao mês, à tarefa), à falsa prestação de serviços (recibos verdes), aluguer de mão-de-obra, recurso a estágios profissionais, contratos de emprego-inserção, trabalho temporário, outsourcing… No nosso Distrito, nos últimos 4 anos generalizou-se ainda mais o recurso à precariedade, sendo que 1 em cada 5 trabalhadores por conta de outrem tem hoje um vínculo precário, atingindo já mais de 225 mil trabalhadores, dos quais 7 em cada 10 são jovens (e estes são os números que conseguimos contabilizar, pois das estatísticas não constam os milhares de falsos recibos verdes). No total os vínculos precários atingem de forma quase igual mulheres e homens mas quando analisamos os contratos dos trabalhadores com menos de 25 anos verificamos que as jovens mulheres são particularmente atingidas pela precariedade, sendo que 8 em cada 10 trabalhadoras com menos de 25 anos têm vínculo precário.</p> <p><a href="images/stories/PDFs/Isabel_Camarinha_Luta_Precariedade.pdf" target="_blank" title="Intervenção luta contra precariedade">Ler intervenção.</a></p></div>