LUTA COM RESULTADOS - SUSPENSAS GREVES NO METROPOLITANO DE LISBOA

Perante o pré-aviso de greve no Metropolitano de Lisboa, para os dias 1 e 3 de Agosto, a administração apressou-se a dar algumas das respostas que há muito tempo se exigiam e, face a  isto, sem deixar de estar mobilizados para futuras lutas caso as outras respostas não cheguem, os trabalhadores, no plenário hoje realizado, decidiram não prosseguir com a greve nos dias indicados.

Apesar de algumas respostas importantes, continua a haver um problema de fundo criado pelo Governo: a falta de autorização de admissão dos trabalhadores necessários, na tracção, na manutenção e nas estações, que tem como consequência a degradação do serviço prestado aos utentes, o atraso na recuperação do material circulante, deficiente e/ou falta de atendimento nas estações.

Por isso, vamos continuar a intervir para a resolução dos problemas existentes e de cuja resolução resultará um serviço público de melhor qualidade.

A UNIÃO DOS SINDICATOS DE LISBOA PROMOVE ABAIXO-ASSINADO CONTRA A DEGRADAÇÃO DO METRO – POR UM TRANSPORTE PÚBLICO DE QUALIDADE

A União dos Sindicatos de Lisboa, em conjunto com a FECTRANS e a Comissão de Utentes de Transporte públicos de Lisboa, lançaram um abaixo-assinado contra  o estado de degradação da rede do Metro e, em geral, a situação dos transportes públicos na cidade de Lisboa  que têm conhecido um profundo agravamento nos últimos anos, tornando a vida de todos aqueles que vivem, estudam ou trabalham em Lisboa num verdadeiro inferno.

São 7 as reivindicações que as organizações apresentam tais como: a reparação  e manutenção das linhas e material circulante, (20 carruagens paradas por falta de peças); a contratação de mais  trabalhadores, (nos últimos anos houve uma redução de cerca de 300 trabalhadores); a redução dos tempos de espera e o fim das constantes “perturbações” na linha, (é frequente haver tempos de espera superiores a 10 minutos); o funcionamento regular em todas as linhas, acabando com os percursos alternados e com as habituais reduções no serviço no período de Verão.

Lisboa, é uma cidade onde há um número significativo de idosos, muitos deles têm mobilidade reduzida,  a falta de manutenção e reparação das escadas rolantes e elevadores são obstáculos à população com mobilidade reduzida, de utilizar este meio de transporte colectivo, é urgente intervenções e obras necessárias para assegurar mais e melhores acessibilidades.

Com o encerramento para obras na estação de Arroios, deve ser assegurados percursos alternativos pela Carris para servir as populações enquanto.

As organizações exigem garantias de fornecimento de bilhética e redução dos preços. 

 

Descarregue aqui o Abaixo-Assinado

TRABALHADORES DO HOSPITAL DA CRUZ VERMELHA MANDATARAM OS SINDICATOS PARA DECRETAREM ACÇÕES DE LUTA

Os Trabalhadores do Hospital da Cruz Vermelha Portuguesa (HVCP) aprovaram em Plenário, uma Moção que foi enviada à Administração, onde reafirmaram a sua determinação na defesa do Acordo de Empresa (AE) em vigor.

No Plenário que contou com a presença de cerca de meia centena de Trabalhadores, estes exigem ainda que sejam regularizados todos os vínculos precários, integrando todos os trabalhadores subcontratados, com funções permanentes.

Decidiram também enviar proposta de aumento de remunerações, de 5% e num mínimo de 50€, dado que desde 2010, a Administração não actualiza os salários dos trabalhadores.

Na Moção entretanto enviada à Administração, os Trabalhadores esperam que esta altere a sua postura, assumindo uma atitude dialogante e de boa-fé, no processo de Conciliação que vai ser iniciado no Ministério do Trabalho, caso contrário, mostraram-se determinados para voltar a lutar contra as injustiças, a exploração e pela defesa e pelo efectivo cumprimento do AE. 

Os Trabalhadores consideram ainda inadmissível e incompreensível, a recusa desta Administração, em negociar o AE e de pretender anular os direitos nele consagrados.

Esta convenção alterada em anos anteriores tem permitido manter a estabilidade laboral e a elevada qualidade dos cuidados prestados aos utentes, promovendo e projectando uma imagem de elevada reputação, desta instituição.

Neste contexto, os Trabalhadores mandataram os seus Sindicatos, para decretarem as acções de luta que sejam necessárias, caso a Administração não altere a sua postura e atitude negocial, negociando e cumprindo o AE.

GREVE OBRIGA ADMINISTRAÇÃO DA CELCAT A NEGOCIAR

Depois da demonstração da força e unidade dos trabalhadores da CelCat, evidente nas paragens da produção durante as greves de Maio e Junho, a Administração da empresa recuou e pediu uma nova reunião com o SIESI, já realizada em 14 de Julho. Na próxima quarta-feira, dia 19, irá decorrer um plenário onde os resultados desta reunião serão comunicados aos trabalhadores e estes decidirão se têm de tomar medidas de forma a exigir a valorização do trabalho e dos trabalhadores.

GREVE NA LIMPEZA DO HOSPITAL DE SANTA MARIA

Os trabalhadores da empresa de limpeza industrial Safira a prestar serviço no Hospital de Santa Maria, em Lisboa, cumprem no dia 17 de junho um dia de luta com uma greve de 24 horas e uma concentração de protesto à porta do hospital. Estão em luta por aumentos salariais de acordo com a sua categoria profissional, pelo aumento do subsídio de alimentação, pelo cumprimento do Contrato Colectivo de Trabalho (CCT) em relação ao pagamento dos feriados e respectivo descanso compensatório e ao pagamento do acréscimo dos 16%, pelo trabalho em domingos, sobre o salário base, pelo cumprimento e aplicação a todos os trabalhadores, do acordo de condições específicas existente no local de trabalho e pela atualização e pagamento do valor do subsídio de transporte – passe de Lisboa – a todos os trabalhadores sem descriminação, entre outras reivindicações.

MEO/PT – CRESCE A MOBILIZAÇÃO PARA LUTA

Inserida na dinamização e na luta do próximo dia 21, uma delegação da FECTRANS/CGTP-IN, que integra Arménio Carlos, secretário geral da central sindical, desloca-se no próximo dia 20 às intalações das Picoas para contactar trabalhadores da MEO/PT abrangidos neste processo de despedimento, denominado transmissão de estabelecimento e, também participarão na concentração/manifestação da próxima sexta-feira em Lisboa.

GREVE GERAL NA PT MEO

LUTA A CRESCER PARA NOS CONCENTRARMOS NAS PICOAS E SEGUIRMOS EM MANIFESTAÇÃO ATÉ Sº.BENTO!

A razão dá força à luta. As ORTs têm vindo a desenvolver as acções programadas e divulgadas antes, integradas no plano de preparação da Greve Geral na PT MEO no dia 21 de Julho, com grande adesão dos trabalhadores.

O descontentamento generalizado existente numa Empresa cuja Gestão teve o “condão” de colocar contra ela todo o mundo do trabalho, é uma coisa inédita e a razão dos trabalhadores dá mais força à Luta, pelo que se configura uma Greve Geral histórica.

EMEF: CONTRA OS DESPEDIMENTOS, CONCENTRAÇÃO EM FRENTE AO CONSELHO DE MINISTROS

Prosseguindo a luta pela reintegração dos 10 trabalhadores com vínculos precários recentemente despedidos, a FECTRANS/SNTSF irá realizar no próximo dia 20 de Julho, pelas 10,15h, uma concentração em frente à Presidência do Conselho de Ministros, na rua Professor Gomes Teixeira em Lisboa.

Estes 10 trabalhadores fazem falta e a prova disso é que a mesma administração da CP que promoveu este despedimento, perante a denuncia que fizemos, já fez um pedido para a admissão de 10 trabalhadores para a oficina da EMEF em santa Apolónia, onde cresce o número de material imobilizado, por falta de capacidade de intervenção, sendo ontem 30% das carruagens imobilizadas, quando no máximo deveria estar 10%.

O despedimento destes trabalhadores tem mais custos para a EMEF/CP que a sua permanência na empresa, onde, apesar de contratados via empresa de trabalho temporário, estiveram a ocupar postos de trabalho permanente, integrados em equipadas de trabalho da EMEF, a cumprir horários de trabalho determinados por esta empresa, a utilizar as ferramentas e equipamentos fornecidos pela EMEF, utilizando fardamento também desta empresa. Então porque não são trabalhadores da EMEF? Por falta de vontade política!

Basta ver o posicionamento do Ministério do Planeamento e Infraestruturas, que transmitiu que até quarta feira passada, respondia a esta questão, mas a carta deve ter-se perdido pelo caminho.

PELA EXIGÊNCIA DA INTEGRAÇÃO DE TODOS OS TRABALHADORES NA ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA

Necessidades permanentes têm que corresponder um vínculo efectivo na Administração Pública

A Frente Comum de Sindicatos da Administração Pública convocou uma jornada de luta  pela exigência da integração de todos os trabalhadores com vínculos precários na Administração Pública.

A acção terá lugar em frente ao Ministério das Finanças, em Lisboa, no dia 21 de Julho, entre as 16h00 e as 21h30, e contará com depoimentos e animação.

A participação de todos é fundamental, na reivindicação de que necessidades permanentes tem que corresponder um vínculo efectivo e todos os trabalhadores devem ser integrados!

A LUTA VOLTA AO METROPOLITANO DE LISBOA

Os trabalhadores do Metropolitano de Lisboa vão reunir-se em plenário no próximo dia 25, onde discutirão a luta proposta pelos Sindicatos na forma de greve de dois períodos de 24 horas nos dias 1 e 3 de Agosto.

O governo do PS e a administração do ML em vez de se empenharem em resolver os graves problemas herdados do governo anterior (PSD+CDS), têm optado nesta empresa por um clima de confronto, através de alteração unilateral das regras de prestação de trabalho e horários, quando o que se precisa é que sejam admitidos os trabalhadores que são necessários, se dote a empresa do material circulante adequado, se melhorem as condições nas estações e que se respeitem os trabalhadores que são aqueles que, diariamente, fazem tudo para, nas condições actuais, se consiga ter um serviço público com os padrões mínimos de qualidade.

Está em... Home Acção Reivindicativa