ENCONTRO NACIONAL SAI À RUA E ANUNCIA MANIFESTAÇÃO PARA 15 DE NOVEMBRO

O Encontro Nacional de dirigentes, delegados e ativistas sindicais,  promovido no âmbito do 48° aniversário da CGTP-In decidiu hoje realizar no dia 15 de Novembro uma grande manifestação Nacional, em Lisboa entre o Marquês de Pombal e os Restauradores, e avançar nos direitos, valorizar os trabalhadores e lutar pelas suas legitimas reivindicações, designadamente:
—Pelo aumento dos salários de todos os trabalhadores;
—Pela fixação do SMN em 650€ a partir de 1 de Janeiro de 2019;
—Por horários dignos;
—Contra a precariedade, por melhores condições de trabalho,
—Pelo direito à Contratação colectiva,
—Contra as normas gravosas da legislação laboral;
—Pela defesa e valorização dos Serviços Públicos.
O Encontro vai sair à rua em direcção à residência Oficial do 1° Ministro pelas 16:00.

HOJE A CGTP-IN FAZ ANOS!

Com o objectivo de Assinalar o 48º aniversário da CGTP-IN, realiza hoje, dia 1 de Outubro, em Lisboa no cinema S. Jorge o Encontro Nacional de dirigentes, delegados e activistas Sindicais.    

São 48 anos com os Trabalhadores, sempre com a perspectiva de reforçar os compromissos de luta na defesa dos interesses de classe dos trabalhadores por um Portugal Desenvolvido e soberano.

TRABALHADORES DA CARRIS EXIGEM ASSINATURA DO NOVO AE

Uma delegação de Activistas Sindicais da Carris continua a luta pela assinatura do novo Acordo de Empresa (AE) e concentrou-se na passada quarta-feira, dia 26 de Setembro, em frente ao Ministério do Trabalho, para exigir que o AE seja assinado, pois foi negociado com o Conselho de Administração da Carris no dia 12 de Junho.
 
A FECTRANS não aceita a imposição, por parte da empresa, em intoduzir matéria que não foi negociada nem acordada, como constitui a cláusula de adesão individual assinada pela UGT. Exige que o Ministério do Trabalho intervenha, considerando que uma das suas obrigações é promover a contratação colectiva, no sentido do acordo ser publicado.
 
O Secretário-Geral da CGTP-IN, Arménio Carlos, esteve presente e afirmou que a luta tem de prosseguir porque a razão está do nosso lado e a administração tem que respeitar o princípio de boa fé negocial.

CONCENTRAÇÃO NO PINGO DOCE DE SASSOEIROS

“É justo e necessário o aumento dos salários” foi uma das palavras de ordem ouvidas na concentração dos trabalhadores em frente da loja do Pingo Doce de Sassoeiros. Os trabalhadores denunciam os milhões de lucros ganhos à custa dos baixos salários, da prática de horários selvagens, esta é uma das acções que vai culminar, no dia 12 de Setembro, na greve dos trabalhadores abrangidos pelo contrato colectivo das empresas da grande distribuição.

100% DE ADESÃO À GREVE NO DIA/MINIPREÇO DE PAÇO DE ARCOS

Os trabalhadores do Dia/Minipreço estão em luta em defesa dos postos de trabalho. A loja de Paço de Arcos fechou porque os trabalhadores estão em greve. A concentração realizou-se à porta da loja, denunciando a falta de ética e de respeito por parte da empresa, que ao passar a loja para terceiros, não salvaguarda os postos de trabalho e os direitos dos trabalhadores. A luta vai continuar e é já no próximo dia 12 de Setembro.

TRABALHADORES DO CHLN EM GREVE - “TEMPO DE SERVIÇO NÃO É PARA IR PARA O LIXO”

O Sindicato dos Trabalhadores em Funções Públicas e Sociais do Sul e Açores promoveram hoje, a partir das 11h00, uma concentração em frente ao Hospital Santa Maria. Os trabalhadores com Contrato Individual  de trabalho (CIT) do Centro Hospitalar Lisboa Norte (CHLN), exigem a contagem do tempo serviço, para efeito de posicionamento remuneratório.

O Governo impediu que ficasse salvaguardado no Acordo Colectivo de Trabalho celebrado com a Federação dos Sindicatos dos Trabalhadores Em Funções Públicas e Sociais e os Hospitais E.P.E., a contagem do tempo serviço, para efeito de posicionamento remuneratório, para os trabalhadores em CIT, tendo empurrado esta responsabilidade para os Concelhos de Administração, através de regulamento Interno.

É inaceitável que trabalhadores, alguns há mais de 20 anos a trabalhar nos hospitais E.P.E., não vejam reconhecido o tempo de serviço, recebendo salários de miséria, e nalguns casos não poderem optar pelas 35 horas de trabalho semanal, sob pena de receberem menos salário. O Sindicato exige uma resposta urgente por parte do C. A. para a injustiça com que estão confrontados muitos destes trabalhadores.

FECTRANS-CGTP/IN CONTESTA INTRODUÇÃO DE PAGAMENTO AOS TRABALHADORES NÃO SINDICALIZADOS!

A União dos Sindicatos de Lisboa/CGTP-IN solidarizou-se com a luta desenvolvida pela FECTRANS e pelo STRUP, na concentração realizada no dia 24 de Julho em frente à CML. Esta acção foi convocada após a administração da CARRIS ter alterado o texto final, introduzindo uma nova cláusula que pretende regular a adesão dos trabalhadores não sindicalizados ao novo A.E., obrigando esses trabalhadores a pagar aos sindicatos 0,4% do salário ilíquido. A FECTRANS/CGTP-IN recusa esta matéria, pois interfere com a autonomia e organização dos sindicatos.

FORTE ADESÃO À LUTA CONVOCADA PELA FENPROF

A FENPROF convocou  greve e concentrações em 16 cidades do país, no dia 13 de Julho. Em Lisboa foi em frente ao Ministério da Educação que Professores e Educadores se concentraram para exigir a contabilização o tempo de serviço de 9 anos, 4 meses e dois dias que o Governo teima em não considerar.

A luta desenvolvida pela contabilização total dos anos de serviço levou a que o Governo aceitasse voltar à mesa negocial e estudar a possibilidade de descongelamento da carreira. Os professores aprovaram uma Moção, onde está sublinhado a continuação da luta, nomeadamente na semana que termina a 5 de Outubro, Dia Mundial do Professor. Esta acção terminou com a exigência de mais investimento na escola pública e na qualidade da educação.

TRABALHADORES DA GEBALIS EXIGEM O CUMPRIMENTO DO ACORDO DE EMPRESA

Dirigentes do STML e do STAL, em conjunto com membros da Comissão de Trabalhadores da GEBALIS, entregaram, no dia 11 de Julho ao Presidente da CML, o abaixo-assinado que reuniu a concordância de cerca de 80% dos trabalhadores da empresa.

Neste abaixo-assinado denunciou-se a interpretação abusiva do Conselho de Administração da empresa em relação à transição para a nova tabela remuneratória, decisão incompreensível considerando o disposto no Acordo de Empresa celebrado em 2017 com ambos os sindicatos.

 

A luta irá continuar nos moldes que os trabalhadores decidirem.

Está em... Home Acção Reivindicativa