TRABALHADORAS DA EX-TRIUMPH INTERNATIONAL, À PORTA DA EMPRESA PARA IMPEDIR A SAÍDA DE MATERIAL DA FÁBRICA

São cerca de 473 trabalhadoras têxteis, da antiga Triumph International, hoje da empresa Têxtil Gramax Internacional,  localizada em Sacavém, no concelho de Loures, que se encontram em luta, pela defesa dos postos de trabalho, pelo pagamento de salários em atraso e pelos seus direitos.

Desde sexta-feira que as trabalhadoras, permanecem 24 horas por dia para impedir a saída de material da fábrica. Recentemente a empresa avançou com a decisão de um processo de insolvência, entretanto as trabalhadoras estão sem receber os seus salários, desde Novembro.

Hoje de manhã, juntaram-se a esta luta outros trabalhadores de diversos sectores de actividade. A União dos Sindicatos de Lisboa, através do seu coordenador Libério Domingues, apelou a todos os sindicatos do distrito,  para que se juntem a esta luta,  a partir das 16h30 como forma de solidariedade para com as trabalhadoras.

 Galeria de fotos

EM JANEIRO, GREVE NA SEDA IBÉRICA!

 

Os trabalhadores da Seda Ibérica Embalagens, em Paço de Arcos (Oeiras), vão fazer quatro dias de greve ainda este mês (dois dias consecutivos), em protesto contra a forma como a administração está a agir, depois de ter sido rejeitada a proposta patronal para o Acordo de Empresa, e para que o subsídio de turno comece a ser pago conforme estabelecido na contratação colectiva.

A decisão foi tomada pelos trabalhadores no dia 29 de Dezembro e o sindicato apresentou o pré-aviso de greve no dia 3 de Janeiro.

A proposta de AE apresentada pela administração foi rejeitada pelos trabalhadores, que também condenaram o facto de não estar a ser feito o pagamento de subsídio de turno conforme previsto no contrato colectivo de trabalho da indústria gráfica.

O protesto é ainda motivado pela não actualização dos salários no ano de 2017 e pela ausência de proposta salarial patronal para 2018.

Os trabalhadores contestam igualmente a tentativa da administração de impor o aumento dos horários de trabalho, eliminar as pausas para toma de pequeno-almoço e alterar o horário de almoço.

Estão marcadas greves de 24 horas para 11, 12, 18 e 25 de Janeiro. Foi convocada também greve a todo o trabalho extraordinário, entre 11 e 25 de Janeiro.

A Seda Ibérica Embalagens faz parte do grupo italiano Seda Packaging. Situada na Estrada de Paço de Arcos (Oeiras), tem mais de 220 trabalhadores, facturou quase 42,8 milhões de euros e apresentou um resultado líquido de 1,35 milhões de euros (dados de 2016).

Fonte: SITE CSRA

VALE A PENA LUTAR - VITÓRIA DO STML/STAL E DOS TRABALHADORES DA LIMPEZA URBANA DA CML

VITÓRIA DO STML/STAL E DOS TRABALHADORES DA LIMPEZA URBANA DA CML

Greve marcada para 26 a 29 de Dezembro SUSPENSA

Após o envio do pré-aviso de greve para o sector da Limpeza Urbana da CML, e posterior negociação entre o Executivo da CML, STML e STAL, podemos garantir aos trabalhadores que a maior parte das suas reivindicações vão ser cumpridas após compromisso escrito da Câmara Municipal.

Assim, sobre:

A regularização dos trabalhadores a recibos-verdes:

Vão ser prolongados os contratos de prestação de serviços aos trabalhadores, até que seja possível a sua integração na câmara.

Lavagem de contentores:

Fica assumido que a Câmara não irá externalizar mais serviços de lavagem de contentores de 1100 Lt. Deste modo, assim que tenha termo o contrato em vigor (acaba em Maio), estes serviços serão novamente assegurados pelos trabalhadores da CML. Fica também para discussão posterior a lavagem dos ecopontos subterrâneos.

Remuneração em tempo de férias:

Após várias reuniões de negociação sobre o pagamento do subsídio nocturno, a CML assumiu que o irá pagar a partir de 2018, não assumindo o pagamento do suplemento de insalubridade, penosidade e risco (o STML e o STAL, não deixarão de continuar a lutar por este objectivo).

O STML e o STAL sempre defenderam que os trabalhadores teriam direito aos respectivos retroactivos.

O executivo, perante a determinação dos sindicatos, suportados pela firmeza dos trabalhadores em manter a greve, e após algumas discussões, acordou no pagamento de 5 anos de retroactivos do nocturno (de 2013 a 2017), divididos em duas tranches.

Neste sentido, os anos de 2017, 2016 e 2015 serão pagos já em Março de 2018, e os anos de 2014 e 2013 serão pagos até Março de 2019, comprometendo-se o Executivo a desenvolver os esforços necessários à sua antecipação a Dezembro de 2018.

Sobre este último ponto, interessa sublinhar que os montantes em causa serão pagos a todos os trabalhadores que prestem trabalho em regime  nocturno, mas também aos que de forma permanente prestem serviço pelo menos uma hora de trabalho diário no período nocturno e aos que durante os anos em causa (2013 a 2017) tenham trabalhado pelo menos seis meses, por ano, no período nocturno.

Referir ainda que a última tranche irá abranger os trabalhadores transferidos da CML para as Juntas de Freguesia. Devemos agora manter a unidade e a disponibilidade para a luta, porque outros problemas urge resolver.

A LUTA CONTINUA!

Fonte: http://www.stml.pt/

A LUTA NÃO PÁRA - CONCENTRAÇÃO DE TRABALHADORES DAS EMPRESAS DE DISTRIBUIÇÃO!

TRABALHADORES DO LIDL CONCENTRADOS EM FRENTE À EMPRESA NO LINHÓ!

Os trabalhadores exigem:

  • A negociação do Contrato Colectivo de Trabalho do sector;
  • O aumento dos salários de todos os trabalhadores e o fim da tabela B - mais baixa e que se aplica em todos os distritos, excepto Lisboa, Porto e Setúbal;
  • A progressão automática dos operadores de armazém até ao nível VIII (operador de armazém especializado);
  • A manutenção do valor pago por trabalho suplementar e por trabalho em dia feriado, contra a redução do valor das horas extras e do trabalho aos feriados;
  • Horários de trabalho regulados, contra o banco de horas, pelo direito à conciliação da vida profissional com a vida pessoal e familiar.

                       

TRABALHADORES DAS EMPRESAS DE DISTRIBUIÇÃO EM GREVE!

Foto de ussetubal.

GREVE EM TODO O SECTOR DAS EMPRESAS DE DISTRIBUIÇÃO - 23 E 24 DE DEZEMBRO DE 2017

Pela negociação do Contrato Colectivo de Trabalho!

APED não aceita aumentos dos salários e pretende reduzir o valor pago por trabalho suplementar e trabalho em dia feriado.

 VAMOS À LUTA NO NATAL!

 

Os trabalhadores e o CESP exigem o aumento dos salários de todos os trabalhadores, eliminação da tabela B e progressão automática dos operadores de armazém até ao nível VIII (operador de armazém especializado).

Associação Patronal das Empresas de Distribuição (APED) insiste nos baixos salários, na redução do valor pago pelo trabalho suplementar e pelo trabalho em dia feriado, e introdução de banco de horas.

É inaceitável! 

A luta tem de continuar!

 

23 E 24 DE DEZEMBRO DE 2017 GREVE EM TODO O SECTOR DAS EMPRESAS DE DISTRIBUIÇÃO

(Super e Hipermercados, grandes superfícies especializadas, armazéns e logísticas da distribuição)

 

AMANHÃ[15.12] INICIAM-SE AS NEGOCIAÇÕES DA RECOMPOSIÇÃO DE CARREIRAS DOS PROFESSORES

 

 

Conforme previsto na Declaração de Compromisso assinada, em 18 de novembro, entre o governo e as organizações sindicais de docentes, realizar-se-á na próxima sexta-feira, dia 15, pelas 10 horas, a primeira reunião do processo negocial relativo à designada recomposição da carreira.

Recorda-se que esta recomposição compreende três componentes: reposicionamento dos docentes que, tendo entrado na carreira durante o período de congelamento, ficaram retidos no 1.º escalão; descongelamento das progressões, que se realizará nos termos definidos para o conjunto da Administração Pública; recuperação do tempo de serviço perdido pelos professores ao longo de 9 anos, 4 meses e 2 dias de atividade desenvolvida.

 Esta primeira reunião, de acordo com a convocatória recebida pela FENPROF, terá lugar nas instalações da Direção-Geral da Educação, sitas na Avenida 24 de Julho, n.º 140, em Lisboa, nela participando todas as organizações que subscreveram a Declaração de Compromisso. Ainda de acordo com a convocatória recebida, a reunião destinar-se-á à apresentação dos dados relativos aos diferentes aspetos em análise no âmbito do modelo a negociar e à fixação do calendário negocial.

Fonte: FENPROF

COMEÇA HOJE [11.12] UMA SEMANA DE GREVE NA PETROGAL

A partir das 22 horas de hoje e até às 6 horas de dia 18, os trabalhadores da Petrogal (Grupo Galp Energia) estão em greve, em defesa da sua contratação colectiva e dos seus regimes de reforma e de saúde e exigindo que pare a brutal ofensiva da administração contra o Acordo de Empresa. Mas o protesto é também dirigido ao Ministério do Trabalho, que continua a favorecer o lado patronal.

A LUTA NÃO MARCA PASSO!

Num comunicado aos trabalhadores, a Fiequimetal refere que o Ministério do Trabalho continua a não cumprir o compromisso, assumido pelo próprio ministro, de reagendamento da reunião tripartida, para dar continuidade à negociação das justas e legítimas reivindicações dos trabalhadores.

Depois de ter desmarcado uma reunião que esteve agendada para 19 de Junho, e apesar da insistência da Fiequimetal e do Sicop, o Ministério continua a fazer ouvidos de mercador, em clara subserviência aos ditames da administração. Mesmo depois de nova insistência para o efeito, feita no dia 9 de Novembro por uma delegação de representantes dos trabalhadores que se deslocou ao Ministério, este continua a marcar passo e a não honrar os compromissos assumidos.

Já quando se trata de subscrever as posições patronais, o mesmo Ministério está sempre disponível, de caneta em punho, para assinar despachos anti-greve.

A greve, entre 10 e 18 de Dezembro, foi decidida nos plenários realizados no dia 14 de Novembro, na refinaria de Sines, no dia 15, na refinaria do Porto, e no dia 16, na sede da empresa, em Lisboa.

Mais... COMEÇA HOJE [11.12] UMA SEMANA DE GREVE NA PETROGAL

GREVE NA THYSSENKRUPP SAI À RUA

Os trabalhadores da ThyssenKrupp Elevadores estiveram em greve por 24 horas, no passado dia 7 de Dezembro, com saída à rua, onde realizaram várias concentrações em Lisboa, Porto, Setúbal, Castelo Branco e Funchal.

A luta, organizada pela Comissão Intersindical da Fiequimetal na empresa, visa exigir garantia do emprego e aumentos salariais e contestar a degradação do Serviço Thyssen Maise o recurso ilegal ao localizador de viaturas.

O anunciado encerramento de um estabelecimento suscita preocupações quanto aos postos de trabalho nos serviços centrais da multinacional alemã em Massamá.

Com efeitos rectroactivos a Janeiro de 2017, é exigido um aumento do salário-base num mínimo de 30 euros.

Não houve qualquer acordo na negociação salarial para 2017 e também não foi acordada a reaproximação dos salários (para acabar com situações de discriminação em todas as categorias). Mas no final do exercício a ThyssenKrupp Elevadores apresenta mais de oito milhões de euros de lucros.

Os sindicatos - SIESISITE Centro-NorteSITE Norte e SITE Centro-Sul e Regiões Autónomas - acusam a direcção da empresa de ter uma postura de má fé nas negociações, uma vez que nunca apresentou uma contra proposta para celebrar um acordo.

A Comissão Negociadora Sindical apresentou em Novembro de 2016 o Caderno Reivindicativo para 2017, formalizou uma revisão da proposta em Fevereiro de 2017 e prontificou-se para reunir dez vezes até Novembro de 2017.

Está em... Home Acção Reivindicativa